Produtores rurais de Aquidabã, Canindé do São Francisco, Frei Paulo, Gararu, Graccho Cardoso, Itabi, Lagarto, Monte Alegre de Sergipe, Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora de Lourdes, Pedra Mole, Pinhão, Poço Redondo, Porto da Folha, Ribeirópolis, São Miguel do Aleixo, Simão Dias e Tobias Barreto receberão benefício.

12.491 agricultores receberão, na próxima segunda-feira (13), a segunda parcela do Garantia Safra. O benefício trará um fôlego de R$2.123,47 para os pequenos produtores rurais de 19 municípios sergipanos.  São eles: Aquidabã, Canindé do São Francisco, Frei Paulo, Gararu, Graccho Cardoso, Itabi, Lagarto, Monte Alegre de Sergipe, Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora de Lourdes, Pedra Mole, Pinhão, Poço Redondo, Porto da Folha, Ribeirópolis, São Miguel do Aleixo, Simão Dias e Tobias Barreto.

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura, Esmeraldo Leal, até o final do ano, o Garantia Safra deverá injetar mais de R$10 milhões na economia sergipana. “A nossa estimativa é de que com a regularização do pagamento da contrapartida de mais dois municípios, o que aconteceu este mês, o estado receba R$14 milhões”.

Benefício Social

Dos 19 municípios já contemplados, 17 deles estão com situação de emergência decretada, o que faz do Garantia Safra uma ajuda ainda mais expressiva, destaca o secretário. “Os municípios contemplados acabam sendo os mesmos que foram atingidos pela seca. Então essa é uma ajuda significativa para um momento de crise e de seca em que vive os nossos municípios do semiárido sergipano. O Garantia Safra tem esse aspecto social que é muito mais uma ajuda para a família superar aquele momento de dificuldade, já que ela teve redução ou em alguns casos não teve produção”, esclarece.

O secretário explana que apesar do Safra ser aberto para todos os municípios do Nordeste, parte de Minas Gerais e Espírito Santo, acaba sendo mais acessado pelos municípios do semiárido e sertão exatamente pela possibilidade maior de perda e, diante do prognóstico dos próximos anos, o número de inscritos só tende a aumentar. “O que está acontecendo é que alguns municípios que não participavam ou participavam timidamente perceberam que correm risco de estiagem prolongada ou seca como nós estamos vivendo agora. Essa é a pior seca dos últimos anos e tem atingido todo o estado. Acabamos perdendo parte da produção em vários municípios onde isso não era comum e por isso, aumenta a possibilidade de mais adesões esse ano”.

Nossa Senhora da Glória

Pelo terceiro ano consecutivo, a agricultora Luzia Ferreira, do povoado São Clemente, em Nossa Senhora da Glória, receberá o benefício, que, segundo ela, é o que garante a compra dos itens indispensáveis para a sobrevivência da família. “Quando vem o Garantia Safra é uma grande ajuda, na verdade é um sonho. Com esse dinheirinho eu compro remédio, bujão, feijão para a gente comer. Porque um agricultor sem comer feijão não pode nem sentar-se à mesa”, conta.

O secretário de Agricultura do município, Djalci Ferreira de Aragão, destaca a importância do Garantia Safra para a manutenção da bacia leiteira, uma das principais atividades econômicas de Nossa Senhora da Glória. “Apenas em Glória será injetado R$1,5 milhão. O Garantia Safra representa a salvação em um momento de crise hídrica, de grande perda da lavoura. Tem esse papel social muito grande. O valor pode parecer pouco [R$850 por agricultor, divididos em cinco parcelas], mas é uma ajuda muito grande para o homem do campo. Ajuda a amenizar os problemas mais imediatos do cotidiano, como por exemplo, quitar dívidas com as casas de ração”, aponta.

Por causa do Garantia Safra não falta água e ração para o gado de Elisângela Alexandra de Almeida, do povoado Mocambo, também em Glória. “Eu nunca perdi gado aqui na minha propriedade, Graças a Deus. Mas já presenciei isso com os vizinhos e digo que é um desespero. A gente vive do leite, do corte do animal. Sem o gado como a gente pode sobreviver? É por isso que o Safra é tão importante, ajuda a cuidar do sustento da gente. Por causa dele, posso comprar água e ração para o gado”, explica.

Credenciamento

Até o dia 18 de fevereiro, os agricultores familiares que tenham renda em torno de um salário mínimo, com produção de duas a 15 tarefas, poderão se credenciar ao Garantia Safra 2017/2018.

Para aderir ao programa, o agricultor precisa verificar se seu município participa do Garantia-Safra. Se for participante, o agricultor familiar deverá procurar o escritório local de assistência técnica ou o Sindicato dos Trabalhadores Rurais da região, onde fez a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) e fazer sua inscrição ao Garantia-Safra.

Depois desse passo, ele deve procurar a prefeitura municipal para receber um boleto no valor de R$ 17, que deve ser pago em uma agência da Caixa Econômica Federal ou correspondente bancário, até a data limite posta no boleto. Com o pagamento efetuado, o agricultor terá realizado a adesão ao programa.

Para ser beneficiário do Garantia-Safra é preciso que a família tenha renda mensal de até um salário mínimo e possuir área plantada entre dois e 15 hectares.

Via ASN, com informações do Ministério da Agricultura

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR

Músico,Jornalista DRT 0002304/SE, Repórter do Programa Voz da Cidadania e apresentador do Programa Expressão Livre.