fbpx
Portal Sou de Sergipe
O portal do Sergipano

Marinho Lima apresenta websérie musical com seis pocket shows

Brasília/DF 1/7/2021 – Em palco, somos praticamente um quarteto e fizemos uma nova roupagem para grandes sucessos da música brasileira, diz Marinho Lima.

Produção audiovisual conta com participação do Trio Baru e mais dois músicos de Brasília. A série reúne seis vídeos com pocket shows gravados no Teatro da Aliança Francesa de Brasília. O repertório traz clássicos da MPB e composições autorais. Primeiro VT será lançado na próxima sexta-feira, 2 de julho, às 19h.

O cantor e compositor Marinho Lima, com trajetória artística na cena de Brasília (DF), lança uma novidade para o meio digital: a turnê “Circulação Marinho Lima” – websérie de seis vídeos que terá lançamento na próxima sexta-feira (2/7), às 19 horas, pelo canal oficial do músico no YouTube https://www.youtube.com/watch?v=dsR-1NcLddU&t=30s. Os VTs são fragmentos do show completo do músico que seria apresentado de forma presencial neste ano, mas com a pandemia foi adaptado numa versão on-line.
A novidade musical já foi integralmente gravada e terá lançamentos das produções sequenciais pela internet. Os próximos episódios formatados em pocket shows serão apresentados nos dias 9, 16, 23 de julho e 6 de agosto, sempre às 19h.

O projeto conta com a coordenação do músico Nelson Latif e participação do Trio Baru, que há 15 anos tem representatividade na música nacional e internacional. É formado por três músicos brasileiros: Nelson Latif, Bosco Oliveira e Sandro Alves – todos com carreiras consolidadas. Participam de alguns dos VTs da circulação os músicos Dada Nunes (acordeon) e Dennes Souza (contrabaixista) – também expressões na música brasiliense.
As produções audiovisuais têm como apelo um repertório bem variado e com as principais influências de Marinho Lima. São releituras de grandes compositores da MPB e algumas de suas canções autorais. “Em palco, somos praticamente um quarteto e fizemos uma nova roupagem para grandes sucessos da música brasileira que estão no meus CDs e DVDs, bem como no meu repertório ao longo da carreira. Quanto às minhas composições fizemos uma seleção criteriosa e escolhemos seis delas”.

O músico diz que o projeto foi a saída encontrada para driblar a falta de shows e de espaços para as apresentações presenciais. Ele acredita que a pandemia vai permanecer por algum tempo e tem apostado nos meios digitais para propagar o seu trabalho e estar mais próximo do público. “Sabe-se lá quando nós artistas teremos condições de realizar um show seguro. Por isso, estamos adaptando nossos projetos para podermos realizá-los de forma segura. Não vou me sentir à vontade de fazer um show com pessoas aglomeradas tão cedo”, comenta.
O projeto foi realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.

Veia nordestina no compasso brasiliense
Cantor, compositor, músico violonista e produtor cultural, Marinho Lima reúne uma vasta experiência com quase 30 anos de atividade profissional e há 35 anos em contato com a música. O artista é piauiense de origem, mas vive em Brasília desde os 10 anos e por isso garante que toda a efervescência cultural da capital do país está na sua identidade musical.

A herança da música está na raiz familiar. Foi seu pai, também músico, quem trouxe os primeiros estímulos para ele na infância, quando passou a estudar violão, aos 11 anos de idade. Um contato preliminar que ele define como de “brincadeira”. Mas com o tempo, a tendência musical como expressão profissional foi tomando forma e abrindo oportunidades. O primeiro contato que o trouxe a certeza de seguir esse caminho foi um festival de música, no ano de 1984. “Amo festivais e participei de muitos. Foram eles que me inseriram inicialmente na música e depois passei a atuar na noite, nos bares e festas”, conta.

Marinho revela que suas influências musicais têm apelos regionais, do xote ao rock, com passagem pelo samba e pagode. Nomes como Fagner, Oswaldo Montenegro, Djavan, Geraldo Azevedo foram essenciais na sua formação artística. Atualmente, ele garante que é bastante eclético, tem descoberto novas tendências musicais e se rendido à música baiana, mas procura fugir das produções muito comerciais.

Na sua discografia constam 2 CDs e 2 DVDs gravados, todos autorais: (CD Olhos de Lelís | 1999/2000), (CD Balé das Flores | 2011), (DVD Seu Francisco | 2012) e (DVD Marinho Lima 25 anos | 2015/16), além de várias produções musicais. Para ele, todo músico tem que fazer, pelo menos uma vez na vida, a produção do seu CD. “É essencial ao músico conhecer o que um estúdio pode oferecer à sua música. É um processo muito gratificante”.

Trio Baru
O grupo celebra o encontro de três músicos que dedicaram toda a carreira à música instrumental brasileira. Os violonistas Nelson Latif e Bosco Oliveira atuaram em palcos bem distantes nas duas últimas décadas. Bosco no Brasil e Latif na Europa, mas cada um seguindo uma trajetória. Latif encontrou no Choro sua principal referência; Bosco, na música flamenca. Ambos têm formação acadêmica em violão erudito. Já o percussionista carioca, Sandro Alves, é conhecido por unir ritmos tradicionais brasileiros com influências modernas.
Os três fazem parte da boa safra de instrumentistas brasileiros desde a década de 80 e podem ser vistos com mais frequência em palcos de Brasília, cidade de Bosco. O paulistano Nelson Latif, no trio desde 2002, nos últimos anos tem se dividido entre a Europa e o Brasil.

Em 2011, o trio gravou o CD Alma Brasileira. Nos concertos de lançamento do álbum, os músicos prestaram um tributo aos grandes compositores brasileiros, performance que se manteve em várias turnês, projetos e parcerias como essa com o músico Marinho Lima.

Website: http://www.triobaru.com

COMENTE!

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Consulte Mais informação