fbpx
Portal Sou de Sergipe
O portal do Sergipano

Gestão estratégica estrutural se torna fundamental para retomada das empresas no mercado pós-pandemia

São Paulo, SP 9/7/2021 – Devido à importância do planejamento estratégico, o mapa estratégico deve ser revisado e atualizado com frequência

O planejamento estratégico vai permitir maior transparência, tomadas de decisões antecipadas, otimização dos processos e oferecimento de um maior entendimento sobre o negócio no cenário atual

Com a retomada das atividades econômicas, em um cenário de pós-pandemia da covid-19, a gestão de planejamento estratégico representa uma busca por melhorias que devem ser desenvolvidas dentro do ambiente corporativo, segundo a Gecompany, empresa de gestão empresarial. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, para 7 em cada 10 empresas em atividade, a pandemia implicou diminuição nas vendas ou serviços comercializados, o impacto foi maior entre as companhias de pequeno porte, em que 70,9% reportaram redução nas vendas. Mas o mesmo foi percebido por 62,9% das empresas de porte intermediário e 58,7% das empresas de maior porte. Com isso, o planejamento estratégico estruturado em ações estratégicas se tornou fundamental para assegurar que a empresa esteja coerente com o cenário atual.  

O mundo dos negócios, como em todos os setores, passou por uma crise mundial com direito a lockdown, e agora se encontra no reinicio da normalidade com muitas empresas se estruturando para recuperar o tempo perdido, informa Giselle Silva de Santana, graduada em Matemática, com MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria, cursando mestrado em Administração e pós-graduação em Administração de Empresas e Negócios.

“Para enxergar a luz no final do túnel as empresas precisam investir em planejamento. Ou seja, planejar significa amolar o facão para o que teremos pela frente, rumo ao desconhecido”, declara Giselle.

Alguns pontos-chaves devem ser levados em consideração, diz a administradora, pois o planejamento estratégico é baseado no mapeamento do cenário presente, na definição de onde se quer chegar (em uma linha do tempo de curto, médio e longo prazo), em obediência a metas pré-estabelecidas. E ela afirma que com um cenário tão incerto, novo e diferente, o estabelecimento de novas metas deverá ser realizado com cautela e com extrema atenção aos fatores externos.

Santana também destaca cinco fatores fortes para o planejamento estratégico pós-pandemia, o primeiro é a adaptação e inovação, que consiste na resiliência e na resposta rápida às mudanças. O segundo é missão e valores, o que vai definir o que é a empresa e para onde vai. O terceiro, a profissional aponta para os processos, os quais vão estruturar e intuir funções de planejamento, organização, direção e avaliação das atividades sequenciais, que apresentam relação lógica entre si com a finalidade de atender o mercado.

“O controle e a gestão fazem parte do quarto fator importante para o planejamento. São ferramentas essenciais, pois permitem realizar uma análise contínua dos resultados, possibilitando à empresa manter o curso das operações dentro do rumo desejado. E por último temos a gestão dos recursos humanos, que deverá ser feita de forma cautelar. O presente momento é de absoluta anormalidade, a pandemia impôs um conjunto de disrupturas que está alterando significativamente o modelo de trabalho já conhecido e enraizado”, explica a gestora de negócios, que também é especialista de contratações, Procurement Specialist, com mais de 10 anos experiência.

Conforme a especialista, com o mapeamento estratégico definido é possível representar as relações de causa-efeito que mostram como os objetivos da empresa se correlacionam e como são mensurados, dessa maneira é possível desenhar uma linha norteadora para o futuro da organização como empresa.

Um estudo da Infobase, consultoria de soluções tecnológicas e digitais, mostra que 80% das empresas devem repensar suas estratégias para vencer os impactos econômicos da crise gerada pelo novo coronavírus. O levantamento pondera que não é possível prever o futuro, mas é possível traçar táticas para se reinventar e se adequar ao que o novo normal reserva e, dessa forma, garantir sobrevivência nos momentos atual e futuro, para isso, o planejamento estratégico se torna uma ferramenta urgente.

“Devido à importância do planejamento estratégico, o mapa estratégico deve ser revisado e atualizado com frequência pré-estabelecida, ou em momentos de volatilidade. Podemos concluir que escolhendo o melhor método e utilizando as tecnologias facilitadoras para o monitoramento, contando com o apoio de toda a empresa em todos os níveis, o sucesso se torna imensuravelmente real”, finaliza Giselle Santana, com experiência em desenvolvimento e análise de reports gerenciais para tomada de decisões estratégicas e de viabilidade econômico-financeira de novos projetos.

Website: http://www.linkedin.com/in/giselle-santana-78b1b934

COMENTE!

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Consulte Mais informação