Alunos do curso de soldado da Polícia Militar de Sergipe estão na bronca com o governo do estado de Sergipe. Segundo apurado, eles estão sofrendo um certo tipo de assédio moral ao serem obrigados a trabalhar em uma escala acima do permitido por lei.

“Chegamos a trabalhar 10 dias seguidos”, disse um aluno que não quis se identificar.

Além disso, eles estão usando coletes balísticos vencidos desde o ano de 2014 e andando à paisana desarmados.

Outro problema enfrentado pelos alunos é a incerteza quanto à formatura do curso. De acordo com eles, o estádio é de 150 horas. Até o momento os soldados fizeram 200 horas e o prazo para a conclusão do curso encerrou no último dia 03 de julho.

O governo do estado ainda não divulgou a data da formatura dos novos policias militares. Sendo assim, os alunos temem continuar estagiando com o salário aquém do valor da carreira policial.

A denúncia ainda conta com as péssimas condições para o manuseio dos revólveres 38. As munições são de péssimas qualidades e há relatos de que o disparo não chega nem a perfurar o alvo feito de papelão.

Welder Ban - XodóNews

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR

Jornalista DRT/SE 1794, Locutor e Apresentador da Xodó FM 89,9 e 88,5; Bacharelando em Direito.