Está preso o comerciante Fábio Sabino Silva dos Santos, 34, conhecido como Magro, acusado pela morte de Ana Neire Souza, 52, que também era comerciante. Eles eram vizinhos e Fábio Sabino é acusado de fazer constantes ameaças à vítima.

Em janeiro do ano passado, Ana Neire prestou boletim de ocorrência contra o acusado, alegando que teria recebido ameaça de morte. No dia 6 de junho do ano passado, o Ministério Público Estadual o denunciou pelo crime contra a liberdade pessoal – ameaça. Mas, no dia 5 de dezembro do ano passado, exatos 14 dias antes do assassinato, o juiz José Antonio de Novais Magalhães, do 2° Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Nossa Senhora do Socorro, julgou improcedente a denúncia, considerando não haver provas suficientes para condená-lo. Com essa manifestação, o acusado acabou absolvido da acusação.




No dia 19 do mês passado, por volta das 14h, o acusado teria invadido a casa comercial da vítima e disparado tiros, que a levou à morte.

Apresentação espontânea

Conforme as investigações da Polícia Civil, no dia 19 de dezembro último, o acusado invadiu o estabelecimento comercial da vítima e disparou a arma contra a vítima. Ana Neire chegou a ser socorrida, mas faleceu no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Na véspera de Natal, 23 de dezembro, o acusado se apresentou à Polícia Civil, prestou depoimento e foi liberado por não haver mandado de prisão contra ele.

Mas o delegado Antonio Sérgio, da 4ª Divisão do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), solicitou a prisão preventiva do acusado, com o entendimento de que há provas suficientes do envolvimento dele com o assassinato de Ana Neire. O homicídio foi praticado exatos 14 dias depois que ele foi absolvido da acusação de ameça que ele teria feito contra a vítima.

Na última quinta-feira, 2, os policiais da 4ª Divisão do DHPP cumpriram o mandado de prisão e o acusado foi localizado em Nossa Senhora do Socorro.

FONTE: Cassia Santana / Infonet