Portal Sou de Sergipe
O portal do Sergipano

Como proteger o seu bebê da ameaça de dengue

O número de casos confirmados de dengue no Brasil é alarmante. Segundo dados do Ministério da Saúde, somente no primeiro semestre de 2019, foram quase 600 mil pessoas infectadas com o vírus. Além disso, já foram registradas 366 mortes em todo o país. Os bebês, assim como gestantes e idosos – considerados grupo de risco -, precisam de maiores cuidados para evitar as picadas do mosquito transmissor da doença, o Aedes Aegypti.

A época de chuvas costuma criar ambientes propícios para a proliferação do mosquito, que transmite também a zika e chikungunya. Os primeiros cuidados para combatê-lo é eliminar qualquer objeto que possa servir de criadouro para o inseto, principalmente os que podem acumular água.

Mas para garantir a segurança dos bebês de forma eficaz é importante seguir ainda outras recomendações:

Aplicar repelente




Os repelentes são eficientes e podem ser usados apenas por bebês maiores de seis meses, de acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria. Para fazer uso do produto, é importante seguir algumas orientações.

A pele dos bebês costumam ser mais sensíveis, portanto, antes de fazer uso do repelente, aplique uma pequena quantidade no braço da criança para garantir que ela não terá reação alérgica.

O ideal é que seja reaplicado no máximo 3 vezes ao dia, e deve ser retirado no banho antes da criança dormir. Evite sempre o contato do produto com os olhos e boca.

Os princípios ativos que fazem parte da composição dos repelentes e são aprovados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para uso pediátrico são a Icaridina, o DEET (para crianças acima de 2 anos) e o IR 3535.

Existem ainda os adesivos repelentes 100% naturais, que podem ser colados na roupa do bebê ou em algum local próximo onde ele esteja, como berço, bebê conforto, moisés, carrinho. É uma opção para proteger os recém-nascidos.

Vale lembrar que os repelentes naturais, feitos em geral à base de citronela ou andiroba, não têm comprovação científica para o uso seguro nas crianças.

Instalar mosquiteiros e telas

Os protetores manuais e mais antigos ainda funcionam muito bem e são importantes aliados na proteção contra os mosquitos e insetos.

Você pode optar por instalar as telas em todas as janelas e portas de entrada da casa ou só no cômodo da criança, que nesse caso será preciso manter a porta do quarto fechada. A maioria dos modelos são de fácil instalação e podem ser feitas pelos pais.

Para os bebês menores de 6 meses, a melhor opção é o bom e velho mosquiteiro, que pode ser colocado tanto no berço, quanto no carrinho. O modelo universal é ideal para cobrir o bercinho ou cama da criança, mas não é tão prático para sair de casa.

Para isso, existe um específico, com tamanho reduzido, fácil de instalar e que não encosta nas rodas – o que pode dificultar o passeio.

Colocar roupas de manga longa no bebê

Sempre que possível, proteja o bebê com blusas de manga longa, calças e meias, de preferência em cores claras, porque as escuras costumam atraí-los.

Os mosquitos preferem picar o tornozelo, por isso é importante colocar também as meias. Saiba que a hora em que os mosquitos mais atacam é ao nascer e pôr do sol, portanto reforce os cuidados nesses horários.

Usar apenas produtos indicados para matar mosquito

O uso de inseticidas em spray não é recomendado para quem tem crianças em casa. Os venenos mais seguros e comuns, são os de tomada. O único cuidado que se precisa ter é não deixar que a criança tenha contato com o aparelho.

COMENTE!