De acordo com o presidente do conselho municipal de meio ambiente de Monte Alegre, Izaque Vieira, a previsão para os problemas relacionados a desertificação aparecerem é daqui a 20 ou 30 anos.

Segundo Izaque, a situação da degradação do solo é preocupante e avança de maneira assustadora. Em entrevista ao Jornalista Welder Ban durante o jornal da Xodó, o presidente do conselho municipal afirmou que estudos já foram feitos e comprovam a veracidade dos fatos.

Izaque apresentou dados que mostram que 90% da mata nativa na região de Monte Alegre já foi devastada por conta da desertificação.

Ele alerta que, por meio desse fenômeno, o sertão sergipano terá uma terra imprestável e um cenário desértico. O desequilíbrio ambiental irá provocar, também, o aparecimento de doenças, o êxodo e a mudança repentina do clima.

Um dos fatores, segundo Izaque, que está ocasionando na drástica degradação do solo no sertão é o desmatamento. Para o presidente, a seca por ser um fenômeno natural, não pode ser combatido, mas o desmatamento sim.

“Devemos aprender a conviver com a seca, pois se trata de um fenômeno natural que ocorre todos anos. Mas o desmatamento deve ser combatido, pois é um dos fatores que elevam a desertificação”, enfatizou.

A desertificação é caracterizada como o processo de degradação da terra nas zonas áridas, semiáridas e subúmidas secas, resultantes das atividades humanas ou de fatores naturais.

“A Caatinga é um bioma exclusivamente brasileiro e ocupa11% do país, se estendendo por 9 estados do nordeste e norte de Minas Gerais. Cerca de 27 milhões de pessoas vivem atualmente na área original do bioma e 80% de seus ecossistemas originais já foram alterados. Se a desertificação persistir, perderemos este bioma”, concluiu.

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR
Jornalista DRT/SE 1794, Locutor e Apresentador da Xodó FM 89,9 e 88,5; Bacharelando em Direito.