O Juiz de Direito do Tribunal de Justiça de Sergipe e professor de Direito Constitucional, Processo Civil e Direito do Consumidor, Dr. Sidney Silva de Almeida, concedeu entrevista ao Jornal da Xodó, na Rede Xodó de Comunicação, na tarde da última quarta-feira (31) e falou a respeito do atual cenário crítico que vive a política brasileira.

O magistrado afirmou que a Lava Jato vem sendo conduzida de maneira equilibrada pelo Juiz Sérgio Moro. Sidney relatou que, apesar das críticas que o poder judiciário recebe, não existe sequer parcialidade do juiz Moro.

“É uma operação que tem por objetivo dar consecução a finalidade do poder judiciário que é, de fato, apurar os ilícitos e punir aqueles que eventualmente sejam flagrados na prática delituosa”, explicou.

Indagado pelos âncoras do jornal sobre a divisão do país, Sidney afirmou que é uma oportunidade histórica para os brasileiros colocar o Brasil no rumo certo e esquecer as questões partidárias.

“Devemos deixar de lado as paixões políticas e encarar os fatos e levar a punição a todos aqueles que façam por merece-la, independentemente da agremiação partidária que pertença, independentemente das ideologias que defenda. Eu penso que a história está nos dando essa oportunidade de colocarmos o Brasil em novos trilhos”, relatou o Juiz.

Dr. Sidney parabenizou também a imprensa pelo importante papel de levar as informações da Lava Jato ao conhecimento da sociedade.

“Nós precisamos tornar as coisas mais transparentes; que as pessoas estejam cada dia mais atentas ao que acontecendo com o país e que cobre dos poderes instituídos que eles cumpram as suas atribuições constitucionais. E a imprensa tem exercido um papel extraordinário nesse processo porque está levando a informação as pessoas em todos os rincões do País”, disse.

Sobre a cassação da Chapa Dilma/Temer, o magistrado afirmou que se ficar demonstrado a existência do abuso do poder econômico, o resultado deverá ser a cassação porque assim está previsto na lei. Sidney disse ainda que a chapa é indivisível e que a punição deve se estender aos dois beneficiados no pleito de 2014.

A respeito da gravação de Joesley Batista, o juiz falou se tratar de uma gravação clandestina, “mas o pronunciamento de Temer ratificando que houve realmente o diálogo levou o procurador da república a solicitar ao STF a autorização para investigar o presidente diante da suposta confissão quanto aos fatos constantes da gravação”.

“Se ela é ilícita ou não acho que agora já perdeu um pouco o objeto, na medida em que o presidente da república, em momento posterior, admitiu a conversação”, continuou.

Quando perguntado sobre o tipo de crime que o presidente cometeu, o magistrado preferiu aguardar a investigação apontar as ilicitudes.

“É muito difícil você opinar sobre o desfecho de um processo ou pela prática de um ilício quando você não está de posse dos autos para, de fato, avaliar o contexto probatório”, concluiu.

Welder Ban – Xodó News

Welder Ban | Panorama Político
Uma análise da política sergipana como ela deve ser: sem censura.

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR
Jornalista DRT/SE 1794, Locutor e Apresentador da Xodó FM 89,9 e 88,5; Bacharelando em Direito.