palhaco_soneca2

 “Quem faz projeto é engenheiro. Eu quero é ser vereador de Aracaju”. Foi com este bordão que o Palhaço Soneca (PPS) conquistou neste domingo (2) os votos de 2.657 eleitores, ocupando a 20º posição entre as 24 vagas na Câmara Municipal de Aracaju, que eram disputadas por 437 candidatos. Em 2012, ele ficou na suplência com 1.591 votos.

“Sempre dizia: ‘meta o dedo no palhaço’. O povo ouviu meu pedido e me elegeu. Pra mim não foi surpresa, porque as pessoas nas ruas diziam que votariam em mim, mas a ficha ainda não caiu, porque é difícil ganhar uma política em Aracaju. Quero mostrar ao povo que não vou levar a política com palhaçada. A minha vida artística é fora daquela casa”, declarou.

Não vou levar a política com palhaçada. A minha vida artística é fora daquela casa”

Palhaço Soneca

Palhaço Soneca é o nome de fantasia de Alexsandro da Conceição de 30 anos, filiado ao Partido Popular Socialista (PPS), que tem o ensino médio incompleto, é casado e pai de um menino de quatro anos. E desde os 15 anos, começou a trabalhar em circos onde foi batizado por este nome.

Segundo ele, o desejo para entrar na vida política surgiu observando os problemas enfrentados na comunidade do Bairro São Carlos, na periferia de Aracaju, onde reside atualmente. “Via que minha comunidade estava abandonada, faltando muita coisa e precisando de um representante. Quem sabe as dificuldades da periferia é quem mora nela”, afirmou Soneca.

O vereador Palhaço atribui a vitória ao trabalho social que desenvolve há mais de quatro anos na comunidade do bairro com crianças e população carente. “Sou um líder comunitário. Vejo uma praça que está faltando iluminação, um buraco na rua, a falta de limpeza e de alguma forma tento resolver. Também faço as festas com crianças carentes, vou às escolas e tento ser útil às pessoas que vêm até mim pedindo para ir à prefeitura. Vou lá e faço”, explica.

Projetos
Apesar ter entrado na disputa pela vaga de vereador, Soneca conta que ainda não se deu conta que está eleito e ainda está definindo com a assessoria os projetos que vai defender no Legislativo Municipal a partir de janeiro de 2017.

“Primeiro quero entrar na Câmara de Aracaju e ver como é lá direitinho. Aí sim vou lançar meus projetos, mas vou defender a cultura da capital que está precisando de um representante. Falta cultura nas praças, nas escolas e investimentos para ajudar aos palhaços que sofrem muito com a crise. A cultura vai ser o meu carro chefe, mas quero ser o vereador de todos os aracajuanos e de todas as causas”, pontuou.

Críticas
Um dia após o resultado das urnas, o novo vereador de Aracaju já enfrenta problemas com as críticas nas redes sociais. “Estão rolando muitas piadas, algumas até racistas, mas vou responder com trabalho. Peço as essas pessoas que tenham mais amor no coração e esperem Soneca a partir de janeiro. Não vou fazer política com palhaçada, mas trazer alegria para quem precisa de saúde, educação e cultura”, respondeu.

Fonte: G1

Deixe seu comentário abaixo

Comentários