Portal Sou de Sergipe
O portal do Sergipano

Entenda o que causou AVC de noiva que estava grávida

Jéssica Guedes tinha 30 anos e 29 semanas de gravidez. Ela também estava noiva de Flavio Gonçalves e o último sábado (14) era o dia de seu casamento. No entanto, a caminho da igreja em que o noivo a esperava, Jéssica se sentiu mal e foi socorrida às pressas.

Ela foi levada ao hospital, transferida para a maternidade que resolveria o problema complexo. Mas quando chegou lá, já estava desacordada pois havia tido um Acidente Vascular Cerebral (AVC), que levou à sua morte. Os médicos conseguiram fazer uma cesárea de emergência e salvaram a bebê, Sophia.

A história é trágica e chocante. Apesar de parecer enredo de filme dramático, aconteceu na vida real, em São Paulo (SP). É muito difícil não se colocar no lugar desta família, principalmente se você está grávida. No entanto, a complicação é rara.

Flavio era tenente da polícia e, segundo a porta-voz da instituição, Jéssica teve um AVC hemorrágico em decorrência de uma eclâmpsia.




Como o AVC na gravidez é causado?

De acordo com Mariana Conforto, ginecologista e obstetra da Perinatal, a eclâmpsia é uma complicação gravíssima e rara na gravidez, que causa convulsões e pressão alta. “Na eclâmpsia, existe uma desordem generalizada no corpo, junto da pressão alta e da convulsão. É possível haver falência renal e hepática, por exemplo”, explica a médica.

Quando esse diagnóstico é feito, coloca em risco tanto a mãe quanto o bebê. Os desdobramentos possíveis são:

  • Hemorragia cerebral
  • Hemorragia generalizada
  • Descolamento de placenta
  • Parto prematuro

Por isso, quando a doença é diagnosticada, o procedimento é a internação, para estabilização da saúde e adiantamento do nascimento do bebê.

Por que uma grávida desenvolve eclâmpsia?

A eclâmpsia pode ser um desdobramento de uma condição de nome parecido, a pré-eclâmpsia. Esta, por sua vez, ocorre quando a pressão arterial está elevada (acima de 140/90 mmHg) a qualquer momento após a sua 20ª semana de gravidez.

No entanto, a doença é multifatorial. Existem alguns fatores de risco, como histórico familiar da doença, idade maior de 35 anos, gravidez de gêmeos ou múltiplos, hipertensão ou diabetes prévias.

Sinais da eclâmpsia

Os sintomas comuns de eclâmpsia são:

  • Convulsões
  • Perda de consciência
  • Agitação
  • Dores de cabeça ou dores musculares.

Por isso, é importante dar atenção ao pré-natal, fazer os exames e relatar todos os sinais diferentes que estiver sentindo.




Ajude Sophia

Sophia, a bebê prematura de Jéssica e Flavio está internada na UTI neonatal de um hospital em São Paulo, cujo plano de saúde do casal não cobre. Por isso, os colegas de trabalho do pai estão fazendo uma vaquinha para arrecadar o dinheiro para os custos da internação.

COMENTE!