Comércio em Aracaju. (Foto: Marina Fontenele/G1)
Comércio em Aracaju. (Foto: Marina Fontenele/G1)

A Pesquisa de Endividamento e Intenção de Consumo (PIEC) revela que as famílias sergipanas estão reduzindo pela metade a inadimplência, com o menor patamar de endividamento desde o início da série histórica da PEIC em Sergipe.

De acordo com os dados apurados pela pesquisa feita com mil pessoas na capital e interior de Sergipe, o número de sergipanos endividados em junho de 2015 recuou 17,2% em comparação ao ano de 2016, o que significa que mais de 50 mil famílias deixaram a condição de endividamento.

Segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio), em 2016, o número de famílias sergipanas endividadas era de 84,4%. Atualmente, o total caiu para 67,2% de famílias endividadas.

Fatores importantes como a liberação de saque dos recursos das contas inativas do FGTS, além da redução da inflação acumulada de itens básicos, como alimentação, higiene pessoal e vestuário, influenciaram positivamente na recuperação da capacidade de endividamento das famílias. Em outra vertente da mesma pesquisa, as famílias apontam elevação na intenção de consumo.

O número de famílias sergipanas com contas em atraso também reduziu consideravelmente. Em comparação a junho do ano passado, quase metade das famílias que possuíam contas atrasadas saíram dessa condição. Em junho deste ano, o número foi fechado em 30%, comparado ao mesmo período do ano passado, a redução é vertiginosa, dados os 50,4% aferidos em 2016. O número de famílias em completa condição de inadimplência caiu pela metade. Em junho de 2016, o número era de 15,1%, e atualmente atingiu apenas 7,5%. Isso também mostra a perspectiva de melhoria da economia em nosso estado.

“A queda do número de famílias inadimplentes é um fator importante para a economia. São essas pessoas que voltam para o mercado de consumo com suas contas organizadas, sabendo como vão gastar seu dinheiro em compras de produtos e serviços, melhorando sua qualidade de vida, sem comprometer o seu orçamento. A crise educou nossa população, que passou a administrar melhor o seu dinheiro e elencar prioridades para os seus investimentos. Metade das famílias inadimplentes voltou ao mercado de consumo sergipano. Esse é um número que devemos comemorar”, comentou. Segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio), presidente da Fecomércio, Laércio Oliveira.

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

FONTEG1 SE
COMPARTILHAR