As festividades do Rosh Hashaná, como é conhecido o simbólico Ano Novo judaico, têm origem nos primórdios da Criação, descrita em Gênesis. Acontece no mês judaico de Tishrei – entre setembro e outubro no calendário gregoriano.

No pôr do sol de 19 de setembro de 2017, começa o ano judaico de 5778, que vai até o anoitecer de sexta-feira (22).

O Rosh Hashaná é uma data para lembrar a conclusão da criação do universo por Deus, assim como a aceitação da soberania dEle sobre o mundo. Também são os dias em que Deus julga os atos dos homens ao longo do ano anterior e decide seu o futuro para o período seguinte.

Depois do Rosh Hashaná, vêm os Dez Dias do Arrependimento, que culminam no Yom Kippur, em que as pessoas têm a oportunidade de expiar os seus pecados.

A maioria das famílias judaicas comemora o Rosh Hashaná com os típicos costumes e pratos, que variam entre os grupos étnicos que formam o povo judeu. Até mesmo alguns não praticantes aderem a alguns desses costumes, como a ceia, por tradição, ainda que não compareçam a uma sinagoga. É comum a saudação Shaná Tová (“um bom ano”), assim como Shaná Tová Umetuká (“um ano bom e doce”).

Nem todos os judeus encaram o Rosh Hashaná somente como uma festa. Nos dias anteriores (1 semana ou 1 mês, conforme o grupo étnico), alguns realizam três orações ao longo do dia, expressando remorso, arrependimento e pedindo perdão. Nas sinagogas, são feitas orações e cânticos especiais para a data.

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR

Músico,Jornalista DRT 0002304/SE, Repórter do Programa Voz da Cidadania e apresentador do Programa Expressão Livre.