Com pouco mais de um minuto para o final da bateria, Medina consegue uma virada espetacular para cima de Wilson com duas ondas com aéreos. Gabriel conseguiu um 6,93 e 6,33 para somar 13,26 contra 10,94 de Julian Wilson. O membro da Tempestade Brasileira iguala a marca de Filipe Toledo e conquista seu segundo título da temporada.

Para chegar à decisão, Medina passou por Mick Fanning (AUS) nas quartas e Kanoa Igarashi (EUA) nas semis. Já Julian encarou Sebastian Zietz (HAV) e Kolohe Andino (AUS).

Repetindo a decisão de 2012, Gabriel Medina e Julian Wilson se enfrentaram na décima parada do Circuito Mundial (WCT), em Peniche (POR). Mesmo com o mar fora de sua melhor condição, Medina deu o troco no australiano. Com um retrospecto de uma vitória e três derrotas em finais, Gabriel devolveu a amarga derrota na decisão de Teahupoo e conquistou, pela primeira fez na carreira, dois títulos consecutivos. De quebra, o brasileiro assume a vice-liderança do ranking mundial, com apenas 3.100 pontos de diferença em relação ao líder John John Florence (HAV).

Sem grande ondas, a bateria demorou para esquentar. Enquanto Medina se arriscava em aéreos, sem sucesso, Julian esperava por uma boa onda. A primeira boa nota, porém, veio em um tubo que rendeu a Gabriel 5,17. Com o mar em condições difíceis, Gabriel conseguiu mais um 5,67 em um aéreo.

Diferentemente do que aconteceu em Teahupoo (TAH), o campeão mundial não permitiu a virada do rival, que seguiu esperando as ondas da série (melhor ondulação dentro que uma sequência). A primeira nota mais expressiva de Julian veio nos dez minutos finais, com um 4,67. Nos quatro minutos finais, o Gabriel deixou o australiano pegar uma boa onda para conseguir a melhor onda da bateria, 6,27 e virar para cima do brasileiro.

John John Florence fica nas quartas

Quem não teve uma manhã muito inspirada foi o atual líder da temporada, John John Florence (HAV). Na segunda bateria das quartas de final, o havaiano atual detentor do título da etapa portuguesa ficou remando de um lado para outro em busca de um posicionamento. Porém, quem encontrou a melhor onda da bateria foi o australiano Kolohe Andino. Logo nos minutos iniciais, Kolohe fez 7.17.

John ainda buscou uma resposta, mas não chegou nem próximo. Na reta final, Andino conseguiu mais um 6,83, deixando o havaiano em combinação. O placar final foi de 14,00 a 3,80. Com a derrota, a disputa do título mundial da temporada foi, automaticamente, para Pipe Masters, no Havaí.

IZAQUE VIEIRA / Redação Portal Sou de Sergipe

Deixe seu comentário abaixo

Comentários