Nota-se nos dias atuais em nossa sociedade uma notável e irreversível crise no tocante a valores relativos à moral e à ética, onde a descrença generalizada nas instituições, principalmente as públicas, faz com que a sociedade em geral se levante e questione até onde os erros com a coisa pública vão continuar a acontecer de forma descabida e irresponsável.
A Lei Complementar 131/2009 determina que os municípios com menos de cinquenta mil habitantes tiveram um prazo de até quatro anos após a data de sua publicação para se adequarem a referida Lei. O ente que não disponibilizar as informações no prazo estabelecido fica impedido de receber transferências voluntárias.

Em oito anos a cidade de Graccho Cardoso vive em um colapso no tocante a transparência, pois desde que a lei foi aprovada, nunca houve prefeito que a colocasse em pratica.

O prefeito José Nicácio Aragão “Cassinho de Quixabeira” vai em seu segundo mandato e em nenhum dos dois tem feito com transparência, pois basta acessar o portal que garante ao cidadão o direito de saber como está sendo aplicado o dinheiro do povo.

Se a cidade de Graccho Cardoso não tem transparência, existe alguma coisa a esconder?

Por que o prefeito José Nicácio em dois mandatos nunca se preocupou em prestar contas ao TCE e nem no diário oficial?

Ai tem.

Em breve mais informações acesse https://www.tce.se.gov.br/portaldatransparencia/

Maycon Fernandes/Reportagem Soudesergipe

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR

Músico,Jornalista DRT 0002304/SE, Repórter do Programa Voz da Cidadania e apresentador do Programa Expressão Livre.