heleno_silva_jadilsonsimoes_251116

“Estamos mendigando carros d’água do Governo Federal”. A afirmação foi feita pelo prefeito de Canindé do São Francisco, Heleno Silva (PRB), na manhã desta sexta-feira (25), durante a realização da Audiência Pública: Discussão sobre a problemática da seca e a escassez de água que afeta o sertão sergipano. A propositura é do deputado Jairo de Glória (PRB).

De acordo com o presidente estadual do PRB, já são seis anos consecutivos de seca no Estado de Sergipe. “Essa é a pior sequência da história, produção zero no alto sertão. Uma situação gravíssima e a gente vê os órgãos públicos atuarem pouco. O Governo Federal já sabia desse problema, eles tinham os estudos que mostravam isso e não atuaram na prevenção, numa estratégia de acudir o homem do campo, ai fica a gente mendigando carro d’Água ao Governo Federal através do Exército, que tem as suas planilhas e o seu levantamento, e bota o que é certo”, destaca acrescentando que o rebanho bovino está se acabando.

“Os principais municípios que sofrem com isso, são do Alto Sertão.  Monte Alegre, Glória, Poço Redondo, Porto da Folha, Canindé e Gararu, são os mais afetados. O Exército coloca água para o consumo humano muito aquém do necessário e o consumo animal, esqueça. O que os Entes Federativos têm que saber é que o rebanho animal faz parte da economia. O Nordeste teve bilhões de prejuízos segundo o IBGE, por causa dessa seca.E nós estamos ai como se nada tivesse acontecendo só olhando para o céu e esperando chuva”, lamenta lembrando que há dois anos, o Estado teve uma ajuda por parte da Conab, quanto a distribuição do milho e o financiamento do Governo que distribuiu o rolão (uma ração) junto aos produtores e esse ano nada nada, terminamos 2015, 2016, 2017 e nada. Está se diluindo a economia, as feiras estão comprometidas. Essa é a maior seca da história”, reafirma.

Audiência

Sobre a iniciativa do deputado Jairo de Glória em realizar a audiência, Heleno Silva enfatizou: “A gente veio aqui parabenizar o deputado Jairo porque ele é parlamentar e tem a força de produzir essa reunião e trazer aqui todos os representantes de órgãos a exemplo do chefe da Defesa Civil, capitão Mateus. O levantamento da Defesa Civil de Canindé diz que nós precisamos de 700 cargas d’ água, a Defesa Civil estadual diz que é 400, o Exército diz que é 170 e tchau. Estão de parabéns o deputado e a Assembleia por abrir esse espaço para ouvir pessoas da região e da área técnica. Espero  que daqui saia um documento pedindo ao Governo do Estado que nos ajude”, finaliza.

Por Agência de Notícias Alese

Deixe seu comentário abaixo

Comentários