A Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA), que responde pela Claro, NET, Vivo, SKY e OiTV, ganhou, na última semana, o processo contra a HTV Internacional, responsável pela venda dos aparelhos HTV Box, que transmitem canais de TV por assinatura sem que seja necessário o contrato de mensalidade com alguma operadora. Ou seja, de forma ilegal, o que custou a indenização de R$ 500 mil à empresa.
O processo foi extremamente rápido, uma vez que, somente em dezembro, a associação denunciou e ganhou o caso após a determinação do juiz Luis Felipe Ferrari Bedendi, da 2ª Vara Empresarial de São Paulo. A acusação é contra a produção do HTV Box, que, para a ABTA, teria como principal função fornecer aos usuários, de forma ilegal e sem mensalidade, o acesso a diversos canais de TV por meio da transmissão não autorizada das imagens.
A associação afirma que a ação é feita “a partir de equipamentos localizados em diferentes regiões do país, que as enviam pra determinados IP’s hospedados em servidores encarregados de distribuir o conteúdo aos equipamentos de HTV Box”.
É por isso que, além de suspender a produção dos aparelhos, a Justiça determinou, em caráter de urgência, que os provedores de internet sejam oficiados para bloquear os IP’s pelos quais trafega o streaming de canais de vídeos ilegais de TV paga.
O juiz confirma que a condenação foi pela empresa “não incluir na fabricação qualquer aplicativo que viabilize a violação dos conteúdos e das marcas de propriedade das associadas da autora”, o que causou a indenização por danos materiais e morais.
“Essa decisão é mais uma conquista relevante que encerra um ano de avanços significativos no combate à pirataria de TV por assinatura. Este combate continuará cada vez mais forte em 2018”, afirmou a ABTA em nota divulgada após a decisão.

Quem tem razão?

No início de dezembro, após anunciar que as operadoras de TV paga perdem R$ 6 bilhões por ano com pirataria, a ABTA também conseguiu a condenação do youtuber Marcelo Otto Nascimento, que divulgava tutoriais sobre como utilizar o aparelho que permitia o acesso gratuito aos canais de TV paga.
Em sua defesa, o rapaz publicou um vídeo dizendo que a associação não chegou a contatá-lo em nenhum momento, que os vídeos haviam sido removidos e que os consumidores que acabam saindo prejudicados, pelos altos preços cobrados pelas operadoras que vendem os canais de TV.
“Espero que além desses processos que a ABTA está fazendo contra os canais, que coloque sua mão na consciência e veja suas operadoras, como Claro, NET e Vivo, porque hoje são as empresas que estão no topo do Reclame Aqui”, sugeriu. “Os processos são direito dela, tem que correr atrás disso, mas tem que ver o lado do consumidor, os preços são absurdamente caros para ter uma TV por assinatura no Brasil”.

Nascimento também publicou um vídeo falando sobre o processo da ABTA contra a HTV. Para ele, o HTV Box deve sofrer um apagão em breve, o que significa que quem comprou o aparelho – vendido por cerca de R$ 1 mil por lojas como o Walmart –, pode perder o sinal dos canais.

Via: minhaoperadora.com.br

Deixe seu comentário abaixo

Comentários