fbpx
Portal Sou de Sergipe
O portal do Sergipano

Irmãs denunciam abuso de PMs que as teriam obrigado a ficar sem roupas durante abordagem

A Polícia Militar (PM) informou nesta quarta-feira (17) que está apurando uma denúncia contra quatro oficiais do 5º Batalhão que teriam abusado de duas irmãs, de 14 e 22 anos, durante uma abordagem. O fato aconteceu no dia 10 de janeiro deste ano em uma casa do Conjunto Fernando Collor, no município de Nossa Senhora do Socorro (SE).

A mulher de 22 anos registrou um Boletim de Ocorrência onde detalhou o que teria acontecido. No documento, ela disse que ouviu latidos do cachorro da família e quando foi ver o que era os policiais mandaram abrir o portão e, em seguida, ordenaram que ela seguisse para o quarto. No local, os militares a revistaram e mandaram ela tirar a roupa.

A vítima contou ainda que nesse momento a irmã dela de 14 anos, que estava no banho, foi obrigada a ir para o quarto. “Eles apontaram a arma para a cabeça dela e perguntaram, mostrando uma foto de um aplicativo, se ela conhecia ‘Ninho’ e ela respondeu que não”, afirmou na delegacia onde o caso foi registrado.

Ela disse que um policial a ameaçou com uma arma na cabeça para que ela tirasse a roupa e se ajoelhasse. Ela também negou que conhecia o suspeito procurado pelos militares. A vítima revelou que uma vizinha, que não estava em casa no momento das supostas buscas por um criminoso, teve a residência arrombada pelos mesmos policiais.

Para a polícia as jovens informaram que temem pela integridade física delas e que são capazes de reconhecer os supostos policiais envolvidos nessa ocorrência.

O major Marcos Carvalho disse que a Polícia Militar repudia veementemente o que considerou uma denúncia sem fundamento. “No dia 10 de janeiro, no período entre 10h02 e 10h19, alguns militares fizeram uma operação na região que é uma área conhecida por ter muitos traficantes. Os policiais estavam em busca de um deles, o ‘Ninho’, que não foi encontrado. Perguntei às equipes que fizeram a operação e todos confirmaram que ninguém entrou em nenhuma casa nesse dia. Mas, como é de praxe em tudo que envolve a PM, um oficial será designado para conduzir um inquérito que vai investigar o caso”, afirmou.

Fonte: G1

COMENTE!