Os matadouros de Itabi, Macambira e Campo do Brito foram fechados por seus respectivos gestores municipais por problemas financeiros, que impossibilita o cumprimento de exigências da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema).

O órgão estadual elencou uma série de irregularidades nas estruturas, e as gestões concluíram que seria inviável manter abertos os abatedouros. Segundo Fausto Leite, diretor técnico da Adema, a administração de Nossa Senhora da Glória fechou acordo com o Ministério Público e também encerrará as atividades do seu matadouro.

Outros municípios que também foram notificados e deverão, pelo menos, se manifestar sobre a situação dos matadouros são Ribeirópolis, Itaporanga e Salgado. “Ainda não se pronunciaram sobre o caso, mas ainda estão no prazo de 30 dias úteis para e regularizarem”, informou Leite.

Caso as adequações não sejam cumpridas no tempo estabelecido, as administrações municipais serão multadas e os abatedouros, interditados. O valor da pena pode variar de R$ 50 a R$ 150 mil para cada prefeitura.

Problemas

Os matadouros das cidades citadas apresentavam diversos problemas, como a falta de câmaras frigoríficas, abatimento desumanizado e descarte irregular dos dejetos dos animais mortos.

Prefeituras

O prefeito de Itaporanga, Otávio Silveira (PSDB), garantiu que as adequações já estão sendo executadas. São melhorias na iluminação, estrutura, implante de abate humanizado, armazenamento, presença de veterinário, descarte de dejetos e compras de outros materiais e equipamentos. Além disso, haveria o projeto para a construção de um novo matadouro na cidade.

Já o mandatário da cidade de Salgado, Duilio Siqueira (PSB) afirmou desconhecer a notificação da Adema e a problemática que envolve seu respectivo matadouro. “Não estou sabendo, é uma surpresa para mim. Não recebi notificação alguma”, disse.

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

FONTEInfonet
COMPARTILHAR