Em que pese o exacerbado processo de corrupção por qual passa o país, Monte Alegre mergulha em um verdadeiro mar de esquecimento, desordem, gastos e desgastes desnecessário aplicando mal o dinheiro público.

A pouco tempo de gestão, o governo local, encontra uma imensa dificuldade para gerir os recursos públicos provenientes das contas públicas, e a cidade entra em total decadência nos diversos setores prioritários da administração.

Para se ter uma ideia, falta transporte até para o trafego dos alunos de algumas escolas do município, indicando um claro descaso e atitude rudimentar com uma das secretarias mais importantes do município que é a EDUCAÇÃO.

É um verdadeiro absurdo interromper um dia de aula por conta de uma “revisão” no setor de transporte totalmente desorganizado. Penso que poderia estabelecer um critério bem elaborado para o concerto desses veículos, de forma a não comprometer o ensino público que já não é de qualidade.

Educação coisa séria e não se pode fechar os olhos ou fazer vista grossa a tudo isso. O mundo precisa ser educado; o politico precisa ter esse sentimento de que tudo muda a partir da educação.

O resultado de tudo são alunos com pouco rendimento escolar, fruto de uma educação precária que muita vezes não ensina o aluno nem a história local.

Contudo e a respeito dos gastos excessivos, o município se propôs a fazer o desfile cívico sem a mínima condição financeira e logística para tal. Como resultado, as escolas ficam reféns e obrigadas a gastarem dinheiro do próprio estabelecimento de ensino, que poderia ser aplicados em materiais de uso permanentes para as unidades escolares, e não em evento meramente politico.

Na mesma linha, os pais de alunos são sufocados e até professores são coagidos a gastarem dinheiro do próprio bolso para realizar um evento que mais homenageia a politica que a pátria local.

Quando o desfile acabar, fica a plena certeza que tudo volta a estaca zero, ou seja, uma mesma escola, sem aparelhamento e sem suporte pedagógico que oferte ao professor a condição de desenvolver um trabalho de conteúdos qualificativos aos educandos.

Em síntese, comemora se o momento singelo de independência do Brasil, com um Monte Alegre carente e totalmente dependentes de gestores patrióticos.

Que haja a comemoração cívica, mas que aja maior responsabilidade com a “coisa pública” que não implique à  ordem e o progresso  de nossa cidade e da educação como um todo.

Independência ou morte??

Morte de uma pequena cidade  dependente de amor, de compromisso. Certamente o grito de hoje não é de independência, mas sim de um grito de “BASTA”. Basta de errar tanto em tão pouco tempo.

Portanto, ou se chama o feito a ordem e governar com uma assessoria eficiente ou permanece o reflexo e os efeitos  desordenados de um má gestão.

 

Redação Portal Sou de Sergipe

Deixe seu comentário abaixo

Comentários