Diante da crise que passa o município de Cristinápolis, resultado de um efeito cascata do cenário político e econômico do país, onde nos últimos 3 meses houve uma queda brutal na receita do FPM no montante de R$ 715.641,22, atingindo também outros municípios até mais desenvolvido que o nosso, a exemplo de Capela, Boquim, Tobias Barreto, Umbaúba, Indiaroba, Tomar do Geru, Santa Luzia do Itanhy, dentre outros. A partir de hoje, dia 11 de outubro de 2017, serão adotadas algumas medidas para redução de despesas, a exemplo de:

  1. REDUÇÃO DO SUBSÍDIO DO PREFEITO, VICE-PREFEITA E SECRETÁRIOS MUNICIPAIS. Penso que o exemplo tem que partir primeiro do gestor e toda a sua equipe.
  2. EXONERAÇÃO DE TODOS OS CARGOS COMISSIONADOS. Sabemos do impacto que essa medida terá na população, mas peço a paciência e colaboração de todos nesse momento. Não seria justo também permitir que o atual quadro de funcionários continuasse trabalhando, mesmo sabendo que hoje o município não possui verba para o pagamento de seus devidos vencimentos.
  3. REDUÇÃO SIGNIFICATIVA NO NÚMERO DE CONTRATOS TEMPORÁRIOS. Alguns contratos essenciais na prestação dos serviços públicos como a saúde e educação serão mantidos visando seu pleno funcionamento.
  4. REVISÃO DOS CONTRATOS COM FORNECEDORES E PRESTADORES DE SERVIÇOS, VISANDO O REEQUILIBRIO FINANCEIRO DAS CONTAS DO MUNICÍPIO. Enxugaremos ao máximo deixando apenas os contratos essenciais para o funcionamento da máquina pública.
  5. TAMBÉM ESTÁ SENDO REALIZADO UM ESTUDO VISANDO UMA MUDANÇA NA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA, VENDO A POSSIBILIDADE DE REDUÇÃO NA QUANTIDADE DE SECRETARIAS. Agravando ainda mais a situação financeira do município de Cristinápolis, estamos pagando o preço de uma má gestão anterior que atolou o município em dívidas milionárias. Vou citar algumas que ainda estamos negociando o seu parcelamento:
  6. CAIXA O município possui uma dívida de mais 1 milhão e 200 mil reais, referente ao repasse do consignado, que a gestão anterior retia do servidor e não repassava à Caixa Econômica Federal.
  7. BRADESCO O município de Cristinápolis possui uma dívida de mais de 1 milhão e 600 mil reais, também referente ao repasse do consignado, que a gestão anterior retia do servidor e não repassava ao banco Bradesco.
  8. SULGIPE Existem contas de energia atrasadas de anos anteriores, que chegam aproximadamente a 600 mil reais, correndo o risco de a qualquer momento a empresa cortar a distribuição de energia do município. Fora essas dívidas citadas que ainda estamos tentando parcelar, foram encontradas outras dívidas que já fizemos acordos e estamos pagando as parcelas, são elas:
  9. INSS / RECEITA FEDERAL Foi reconhecida uma dívida de anos anteriores junto ao INSS e a Receita Federal de mais de 29 milhões de reais, onde aderimos ao parcelamento, chegando a um valor mensal de pouco mais de 150 mil reais.
  10. PIS / PASEP Há um parcelamento já existente no valor de pouco mais de 20 mil reais mensais. ESSAS SÃO ALGUMAS DAS OBRIGAÇÕES PAGAS MENSALMENTE QUE ULTRAPASSA SEUS 180 MIL REAIS DE DÍVIDAS DA GESTÃO ANTERIOR, QUE COMPROMETEM A RECEITA DO MUNICÍPIO E QUE PODERIAM ESTAR SENDO APLICADAS, NA SAÚDE, NA EDUCAÇÃO, EM OBRAS DE MELHORIAS PARA A POPULAÇÃO DE CRISTINÁPOLIS.

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR

Músico,Jornalista DRT 0002304/SE, Repórter do Programa Voz da Cidadania e apresentador do Programa Expressão Livre.