setembro16 , 2021

    RAPIDINHAS DA POLÍTICA: Manifestações enterram de vez “terceira via”

    Veja também

    SUICÍDIO: Um grito da alma pedindo socorro

    As tentativas de suicídio ou sua prática efetiva envolvem sempre uma...

    Polícia Militar apreende arma de fogo em Monte Alegre

    Policiais militares da Companhia Independente de Operações Policiais em...

    Tremor de terra é registrado em Gararu

    Um tremor de terra, de magnitude 1.5, foi registrado...

    Polícia Civil prende casal em flagrante por tráfico de drogas em Propriá

    Policiais civis da Delegacia Regional de Propriá prenderam em...

    COVID-19: Sergipe tem 5° dia seguido sem registro de óbitos

    O novo boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da...

    COMPARTILHE

    - Advertisement -

    Com pelo ao menos cinco pré-candidatos à Presidência da República, João Dória, Mandetta, Amoedo, Ciro Gomes e Alessandro Vieira, além do MBL (Movimento Brasil Livre) as manifestações contra o presidente Bolsonaro, resultaram em um verdadeiro fracasso e sepultou de vez uma possibilidade de terceira via, que já nasceu natimorto.

    As manifestações em várias capitais no país, serviram para mostrar que a nova esquerda encabeçada por João Dória (com direito a dancinha), não deve ter força até 2022.

    Um outro ponto importante é que ao menos seis capitais tiveram manifestações contra o presidente. Puxadas principalmente pelo MBL (Movimento Brasil Livre) e pelo Vem Pra Rua, elas foram bem menores que os atos pró-Bolsonaro, no último 07 de setembro.

    Com alguns manifestantes defendendo o slogan “nem Bolsonaro, nem Lula”, afastaram de vez uma junção entre esquerda e nova esquerda. Para tentar minimizar o fracasso Dória disparou: Todo começo tem dificuldades. Isto aqui é um começo’.

    - Advertisement -

    Os atos de ontem floparam parte relevante dos que MBL e VPR mobilizavam em 2015/16 segue com Bolsonaro.

    O campo progressista não aderiu e tem boas razões, esses grupos não têm legitimidade nem força para liderar uma luta contra Bolsonaro. É hora de baixar a bola.

    Se fossemos fazer um resumo de todo ato de ontem seria:

    “Nem Lula, nem Bolsonaro”. Virou “Fora Bolsonaro”, o “nem Lula” a gente vê depois, para trazer a esquerda e ter manifestação. Terminou com Nem Lula, nem Bolsonaro, nem povo.

     Só dancinha do Doria.

    Se não fosse a presença de alguns partidos da esquerda, sindicatos e fã clube de governador não teria nem 1/5 do público que teve. Além de proporcionar umas boas risadas, o fiasco serviu, finalmente, para enterrar a farsa de que MBL teve algum protagonismo no impeachment da Dilma.

    Maycon Fernandes Jornalista DRT 2304/SE