O corpo do policial militar Djalma Lima Santos, de 47 anos, será velado na casa da mãe dele em Nossa Senhora da Glória (SE). O enterro está previsto para acontecer nesta sexta-feira (15), às 17h, no cemitério do município. O sargento estava à paisana quando foi baleado durante um assalto em um ônibus intermunicipal na noite de quinta-feira (14), na região de Siriri (SE).

Essa foi a segunda vez que a família foi atingida pela violência. Em março de 2014, o filho do sargento foi morto por outro policial durante uma abordagem no Conjunto Parque dos Faróis, em Nossa Senhora do Socorro (SE). O jovem de 17 anos foi atingido com um tiro na cabeça.

Entenda o caso

Na época, a Polícia Militar disse que o adolescente trafegava como passageiro em um ciclomotor que recebeu ordem de parada para uma abordagem de rotina. “Foi dada voz de parada e o condutor da motocicleta acelerou o veículo, evadindo-se do local. A pessoa que estava como passageiro tentou sacar uma arma para disparar contra os policiais”, disse o coronel Paulo Paiva, relações públicas da PM, em entrevista concedida à TV Sergipe no dia da ação que resultou na morte do adolescente.

O sargento Djalma Santos classificou como desastrosa a ação do policial que atirou e matou o filho dele. “Eu sou policial e, se vou abordar um cidadão, não vou chegar abordando ele com um tiro na cabeça. Acredito que a ação foi desastrosa por parte do policial que agiu dessa forma”, disse na época da morte do jovem.

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR