Experimentar longos períodos de dificuldade para dormir sem relação clara com algum problema físico de saúde ou problema específico pode ter uma ligação direta com a depressão e até mesmo com agravamento de tendências suicidas, segundo um recente estudo realizado pela Universidade de Stanford. No entanto, a maioria das pessoas não associa este sintoma com a doença, que geralmente faz o paciente dormir por longas horas.

Insônia pode ser sintoma de depressão

De acordo com os pesquisadores, alterações de sono foram consideradas comuns entre jovens adultos estudados que apresentavam alto risco de suicídio. O trabalho científico recolheu informações objetivas e relatos de 50 participantes entre 18 e 23 anos de idade com tendências depressivas e suicidas a partir de uma base de cerca de cinco mil estudantes universitários.

O sono dos voluntários do estudo foi observado durante uma semana e, após o período de 21 dias, os participantes responderam questionários para medir a gravidade de seus pesadelos, insônia, consumo de álcool, depressão e sintomas suicidas.

Foi descoberto então que os indivíduos que apresentavam maior variação de humor entre o momento em que pegavam no sono até a hora em que acordavam, assim como grandes quantidades de pesadelo e insônia, indicavam também maior tendência a apresentar sintomas suicidas.

Segundo os estudiosos, avaliar as perturbações do sono pode representar importante oportunidade para a prevenção do suicídio, pois se diferenciam de outros fatores de risco por serem mais visíveis, menos estigmatizados e altamente tratáveis.

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

VIAPAULO NOBUO
FONTEVIX
COMPARTILHAR