Sábado 02/06 mal começou e para cerca de 20 mães foi preciso muita paciência para conseguir atendimento para os filhos no plantão da pediatria da Maternidade Santa Izabel, que fica no Bairro Santo Antônio, Zona Norte de Aracaju (SE).

Segundo dona Érica dos Santos, que estava com o filho de apenas dois meses de vida com dificuldade para respirar, a primeira paciente chegou na unidade de saúde ainda na madrugada, por volta das 3 horas, encontrou o portão fechado e um cartaz onde estava escrito: “Plantão Fechado”.
“Cheguei um pouco mais tarde, às 7 horas, e ninguém dava explicação pelo fechamento da unidade. Apenas mandaram procurar outra unidade de saúde. Uma hora depois, quando a gente entrou em contato com a imprensa, tiraram a palavra fechado, abriram o portão e começaram a fazer nossas fichas. A primeira senhora que chegou por aqui só conseguiu ser atendida com o filho depois das 9 horas”, lamentou dona Érica.
A assessoria de comunicação da Maternidade Santa Izabel confirmou que o plantão esteve fechado até às 8h30 por causa da superlotação e pela chegada de um caso alta complexidade, que chegou na madrugada, e precisou da atenção de toda a equipe médica. Disse ainda que a capacidade de internamento da unidade é de 22 crianças, mas atualmente tem 30. Por dia, os atendimentos chegam a 150 crianças.
Semana Passada
Na tarde da quinta-feira (25), dezenas de pais enfrentaram situação semelhante. O plantão ficou fechado das às 9 horas da manhã até às 14h30. “Minha filha de três anos está há dois dias com febre e vomitando muito. Os funcionários dizem que vão atender, já trocaram o plantão, mas até agora nada. Tem cerca de 40 pessoas aqui nesta situação”, conta o vigilante, Carlos Alberto Cardoso.
O serralheiro Geovane Souza já não sabe o que fazer para resolver o problema da filha que tem cinco dias de nascida. “Ela está com muita cólica. Vim às 9 horas e disseram que não tinha médico, voltei agora à tarde e a situação continua a mesma”, lamenta o serralheiro.

Por telefone, a assessoria de comunicação da maternidade confirmou que a pediatria esteve fechada, mas não por falta de médicos. É que a unidade de saúde está superlotada com pacientes de baixo, médio e alto risco. Entre eles, três casos são graves. A direção está tentando transferir os pacientes graves para tentar desafogar os leitos.
Até a quinta-feira (25) foram atendidos 3.650 pacientes na pediatria, quando a média é de 3 mil por mês.
Fonte: G1/Sergipe

Izaque Vieira / Redação Sou de Sergipe

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR