Semana de combate ao Aedes mobiliza mais de 210 mil instituições

Começa hoje (23) a Semana Nacional de Mobilização dos setores da Educação, Assistência Social e Saúde para o combate ao Aedes aegypti em mais de 210 mil unidades públicas e privadas do país. A ação, promovida pelo governo federal, visa a alertar a população sobre a importância de combater, ainda antes do verão, o mosquito transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya. O maior volume de chuvas do período facilita a reprodução do Aedes aegypti.

No total, serão mobilizadas 146.065 escolas da rede básica, 11.103 centros de assistência social e 53.356 unidades de saúde. A articulação é feita pela Sala Nacional de Coordenação e Controle, que reúne os ministérios da Saúde, da Integração, da Defesa, do Desenvolvimento Social e da Educação, a Casa Civil e a Secretaria de Governo da Presidência da República, além de outros órgãos convidados.

Segundo o Ministério da Saúde, estados e municípios têm autonomia para definir quais ações serão realizadas para mobilizar as áreas. Mas a orientação é que sejam promovidas atividades que envolvam a prevenção e o combate ao Aedes, como mutirões de limpeza, distribuição de materiais informativos, realização de rodas de conversa educativas, oficinas, teatros e gincanas.

“Não podemos baixar a vigilância. É melhor cuidar do foco do mosquito do que sofrer as consequências de não ter feito essa iniciativa. Vamos reforçar, ainda mais, a necessidade de eliminar os criadouros, convocando toda a sociedade para esse trabalho já antes do verão, quando começam as chuvas”, disse o ministro da Saúde, Ricardo Barros, em nota.

Instalada para o enfrentamento à microcefalia, desde o final de 2015, a Sala Nacional de Coordenação e Controle é articulada pelo Ministério da Saúde e tem como objetivos gerenciar e monitorar as ações de mobilização e combate ao Aedes aegypti. Como parte das atividades, no primeiro semestre deste ano foram vistoriados mais de 151,8 milhões de domicílios, estabelecimentos de ensino, saúde e de outras finalidades, além de edifícios em construção, para eliminar possíveis focos do mosquito.

De acordo com o Ministério da Saúde, as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti têm tido queda expressiva em todo Brasil. Até 2 de setembro deste ano, foram notificados 219.040 casos prováveis de dengue em todo o país, uma redução de 85,2% em relação ao mesmo período do ano passado (1.483.623 casos).

Também foram registradas 171.930 notificações de casos prováveis de febre chikungunya. A redução é de 34,2% comparado ao ano anterior, quando foram registrados 261.645 casos. Em relação ao Zika, os casos caíram 92,6%. Foram registrados 15.586 casos prováveis em todo país, enquanto em 2016, o Brasil registrou 211.487 notificações.

Veja também

Últimas Notícias

GAU PASS lança versão em português para música do artista jamaicano Jubba White

“Você Me Faz Ir Além” é a faixa de estréia do primeiro disco da cantora e compositora paulistana Gau Pass, lançada no dia 7/12/21,...

20 PESSOAS PRESAS: Operação em central de jogos de azar em Itabaiana

Uma operação da Polícia Civil contra jogos de azar acaba de prender 20 pessoas no município de Itabaiana, no local conhecido como Central do...

Ações de Defesa Civil também fazem parte do trabalho do Corpo de Bombeiros de SE

O Corpo de Bombeiros (CBM) também atua em ações de Defesa Civil. Esses atendimentos são referentes aos casos de inundação, desabamento ou desmoronamento, acidente...

Exames de perícias cadavéricas auxiliam investigações de homicídios, suicídios e acidentes de trânsito fatais em SE

Um dos principais exames realizados pelo Instituto Médico Legal (IML) é o de perícia cadavérica, também conhecida como necroscópica. Nesse procedimento, são feitas análises...

Como é que Mauro Icardi se tornou o melhor goleador da Série A?

Depois de 2010s para Inter são uma história de derrotas e decepções. No entanto, por vezes houve alguns momentos brilhantes. É de notar que...