Em janeiro, o soldado Rômulo dos Santos Oliveira, 34 anos de idade, foi diagnosticado com leucemia linfóide aguda. Desde então, os companheiros do uniforme do 3º Batalhão da Polícia Militar de Itabaiana (SE), iniciou uma campanha para encontrar um doador de medula óssea.

“Ele está no segundo ciclo de quimioterapia, feita no Hospital de urgência de Sergipe (Huse), e aguarda em casa a doação de um compatível. Enquanto não acha, Rômulo vai continuar as sessões de quimioterapia”, explica o soldado Karine Andrade.

Rômulo é casado e tem dois filhos, um de 1 ano e outro de 2 anos. Ele descobriu a doença na forma mais agressiva, quando realizados exames para ser promovido a cabo. “A probabilidade de encontrar um doador compatível entre os membros da família é de 25% e metade da população é de uma em 100 mil. Eu fiz o teste de compatibilidade com os meus irmãos, mas eles não são compatíveis com o me. Então, eu peço a você que é pai, marido, filho, irmão, amigo, e me ajude a tornar-se um doador e compartilhar esta ideia”, e apela para o soldado.

Quem faz o sinal da medula óssea, não só pode ajudar um soldado Sergipe. “Vai contribuir, também, para os outros pacientes que enfrentam essa doença no nosso país”, acrescenta Rômulo.

Com informações do G1/Se

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR
Músico,Jornalista, Repórter do Programa Voz da Cidadania..