outubro26 , 2021

    Suspeito de matar farmacêutico vai responder por homicídio qualificado, roubo, posse ilegal de arma e tráfico de medicamentos

    Veja também

    URGENTE: Motorista de ambulância sofre atentado no município de Maruim

    De acordo com informações, na manhã desta terça-feira, um...

    Polícia Civil inicia investigações sobre supostos maus-tratos contra animais em Aracaju

    Após denúncias encaminhadas à Delegacia de Proteção Animal e...

    Preços de gasolina e diesel aumentam hoje nas refinarias

    Os preços da gasolina e do óleo diesel vendidos...

    Foram registrados 18 novos casos de Covid-19

    A Secretaria de Estado da Saúde, através do boletim...

    COMPARTILHE

    - Advertisement -

    Na manhã desta sexta-feira (1º), a Polícia Civil de Sergipe falou sobre o resultado das investigações que elucidaram o homicídio do farmacêutico John Michel Brito de Almeida, no Alto Sertão de Sergipe. Três suspeitos do crime foram presos em Sergipe e no Paraná

    A Polícia disse que a vítima foi sequestrada após sair de um bar, torturada e executada na madrugada do dia 29 de novembro do ano passado na cidade de Poço Redondo e o corpo foi jogado em um lixão do município de Monte Alegre.

    Após a coleta de informações na região, foram pleiteadas algumas medidas cautelares que foram deferidas pelo Ministério Público Judiciário e pelo Poder Judiciário, facilitando as investigações.

    “A partir daí deu para provar que aqueles indivíduos, que já eram apontados pela população como culpados, de fato estavam no momento e no local em que a vítima foi sequestrada e teve o corpo desovado. Existem provas técnicas que indicam isso, provas praticamente irrefutável”, afirma o coordenador operacional da Copci, delegado Fábio Pereira.

    - Advertisement -

    O delegado chamou a atenção para um detalhe verificado minutos antes do crime. “O principal suspeito estava no balcão do bar, onde estavam o dono bar, a vítima e o outro, mas em momento algum o autor mantém diálogo com a vítima. Depois que a vítima pediu a conta, aparentemente incomodada, três minutos após o autor saiu também”, observa.

    Motivação do crime

    A polícia entende que a motivação do crime está relacionada a ciúmes da namorada do principal suspeito. Ela teria conhecido a vítima no mesmo bar, que teria postado fotos deles em redes sociais. Os outros suspeitos, entraram no crime para ajudar, por terem forte ligação com o autor.

    Outra versão, que ainda não foi confirmada, é que o suspeito teria procurado a vítima para assinar como farmacêutico, no comércio dele, mas não teria aceitado.

    “Eles negam a participação e contam versões que não batem com o inquérito, mas as provas técnicas são o bastante pra provar. Na casa do suspeito, a encontramos diversos medicamentos de uso controlado [ele tem uma farmácia, mas não tinha permissão para efetuar a venda], também estava com munições de calibre 12 e um rifle”, conta o delegado.

    Crueldade

    A polícia disse que a vítima foi amarrada, teve os olhos vendados e recebeu tiros na face. O lobo de uma das orelhas foi arrancado, mas ainda não se sabe se foi resultado do projétil ou atrocidade os suspeitos.

    O suspeito de matar farmacêutico vai responder por homicídio qualificado, roubo, posse ilegal de arma e tráfico de medicamentos.

    Desligamento

    A polícia disse ainda que após o crime, os suspeitos se afastaram. Um deles foi morar em Aracaju e outro no estado do Paraná. “Isso mostrar que eles fugiram da cena do crime. Eles ainda tentaram dificultar o trabalho da polícia. O principal suspeito, inclusive, já tinha feito estágio nas delegacias de Monte Alegre e Poço Redondo, e conhecendo o modo de trabalho da polícia tentou atrapalhar as investigações”, conta.

    Fonte: G1