Pesquisa encontrou pela 1ª vez mosquitos Culex carregando vírus da Zika (Foto: Wikimedia Commons)

Cientistas da Fiocruz Pernambuco encontraram pela primeira vez esse tipo de mosquito carregando o Zika na natureza – agora, analisarão quão eficaz ele é na sua transmissão entre seres humanos.

Pesquisa encontrou pela 1ª vez mosquitos Culex carregando vírus da Zika (Foto: Wikimedia Commons)
Pesquisa encontrou pela 1ª vez mosquitos Culex carregando vírus da Zika (Foto: Wikimedia Commons)

A bióloga Constância Ayres, da Fiocruz Pernambuco, fez uma descoberta inédita que tem o potencial de proporcionar um salto no conhecimento dos cientistas sobre o vírus Zika, e mudar radicalmente a estratégia brasileira de prevenção dele.

Ayres conseguiu encontrar, pela primeira vez, pernilongos carregando o vírus na natureza.

Na quinta-feira, a Fiocruz anunciou oficialmente que o mosquito Culex quinquefasciatus, conhecido como muriçoca ou pernilongo doméstico, também pode transmitir o vírus que causa microcefalia e malformações em bebês.

Até então, cientistas acreditavam que o mosquito Aedes aegypti era o principal vetor do vírus no Brasil. Agora, de acordo com Ayres, os cientistas precisam determinar qual das duas espécies é a mais importante na epidemia de Zika no Brasil.

Durante o anúncio, a Fiocruz afirmou que, até que se compreenda a importância do pernilongo na epidemia, a política de controle da Zika continuará focada no Aedes aegypti.

Mas dependendo dos resultados, seria necessária uma “mudança radical” na atual estratégia atual de controle da epidemia, afirma a pesquisadora.

“Não existem estratégias de controle do Culex no Brasil. Isso vai ter de mudar radicalmente”, diz.

Via Bem Estar

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR