grande-camara_municipal_aracaju_2012

Dez vereadores votaram contra o Projeto de Lei, de autoria do Executivo, que estabelecia um refinanciamento de dívidas de natureza tributária, garantindo aos contribuintes aracajuanos, a isenção de 100% dos juros e multas para facilitar a quitação do débito.

“A Câmara, por decisão da oposição, deixou de aprovar um projeto que beneficiava o povo de Aracaju. Infelizmente, politizou-se a discussão e preferiram, em plena crise, penalizar os aracajuanos e, sobretudo, os servidores públicos que teriam a chance de receber os seus salários com tranquilidade”, afirmou o presidente da Câmara, Vinicius Porto (DEM) ao apelar à sensibilidade dos colegas para votar a favor da matéria.

Apesar dos apelos, os vereadores Lucas Aribé (PSB), Lucimara Passos (PC do B), Flávia Brasileiro (PRTB); Palhaço Soneca (PPS), Emerson Ferreira (Rede); Bigode do Santa Maria (PMDB); Sargento Vieira (PDT), Anderson Gois (PRB); Bertulino Menezes(PSB) e Iran Barbosa (PT) votaram contra. “Nós vereadores temos o dever de oportunizar às pessoas o direito de sanearem as suas dívidas tributárias junto ao município. Não se trata de um projeto eleitoreiro, até porque a eleição já passou, mas de uma condição especial para que essas pessoas, especialmente, as mais humildes pudessem pagar o que devem, sem juros e sem correções”, argumentou o vereador Ivaldo José (PRTB).

Ivaldo destacou a violenta crise enfrentada pelo país, fazendo com que Estados e Municípios recorram à União em busca de ajuda.   “A situação não está fácil para ninguém. Infelizmente, alguns colegas não compreenderam dessa forma e deixaram de aprovar essa matéria que, sem dúvida, seria uma oportunidade ímpar para centenas de pais e mães de famílias quitarem as suas dívidas junto ao município de Aracaju”, afirmou o vereador.

“Esse dinheiro não vai para o bolso do prefeito João Alves ou secretário. Esse refinanciamento ajudaria ao povo de Aracaju que, por conta das dificuldades financeiras enfrentadas pela maioria dos brasileiros, não tem conseguido honrar alguns compromissos. Os valores arrecadados com essa medida ajudariam, por exemplo, a pagar o salário dos servidores, considerando as dificuldades enfrentadas pela Prefeitura de Aracaju, fato que tem afetado todos os municípios brasileiros”, ressaltou Vinicius Porto, ao lamentar que a Casa do povo tenha votado contra o próprio povo.

 

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR
Músico,Jornalista, Repórter do Programa Voz da Cidadania..