Sergipe foi o primeiro estado do Brasil a realizar a capacitação de 40 horas dos supervisores municipais do Programa Criança Feliz. Durante três semanas, foram capacitados os 63 municípios inscritos no programa, divididos em três turmas por região. Nesta sexta, 14 de julho, o secretário de Estado da Inclusão Social, José Sobral, entregou os certificados de conclusão dos supervisores da Grande Aracaju, Agreste e parte do Leste sergipano.

De acordo com Sobral, ao saber do pioneirismo sergipano, o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, manifestou o interesse de visitar o estado, para acompanhar algumas das capacitações dos visitadores do programa, que acontecerão a partir de agora. “O ministro ficou muito satisfeito e disse que viria a Sergipe participar da continuação das atividades em pelo menos três municípios. E eu faço questão de parabenizar a todos os que estão abraçando o Programa junto conosco, na certeza de que ele é indispensável para a primeira infância e vai produzir resultados muito significativos nas nossas crianças e para a sociedade como um todo”, pontuou.

Na avaliação de Rita de Cássia, coordenadora estadual do Programa Criança Feliz, os encontros realizados ao longo dessas três semanas foram muito proveitosos. “Os supervisores saíram daqui prontos para desempenhar suas funções e capacitar os visitadores, para que possam realizar as ações do Criança Feliz nas suas localidades. Há alguns municípios até que participaram da nossa capacitação na primeira semana e, já tendo concluído o trabalho com seus visitadores, já vão iniciar as visitas domiciliares”, concluiu.

Todos os municípios possuem um supervisor e, a depender do porte e do público alvo, o número de visitadores varia de três a seis. Os visitadores serão responsáveis, entre outras coisas, por avaliar o ambiente familiar como um todo, identificando fatores capazes de comprometer o desenvolvimento integral da criança. Daí a importância das capacitações para todos os agentes envolvidos. Em todas as turmas dessa fase, foram abordados assuntos relativos às dinâmicas, visitas domiciliares e às creches, debates, além da apresentação sobre a utilização dos kits.

Adria Rodrigues é a supervisora do programa em Cedro de São João e conta que a experiência da capacitação foi gratificante. “O evento superou minhas expectativas. A princípio, eu acreditava que o Criança Feliz era um bicho de sete cabeças, mas agora vejo que sou capaz de realizá-lo e estou muito entusiasmada e determinada”. Supervisora de Nossa Senhora da Glória, Daiane Aragão compartilhava do receio de não conseguir executar o programa em seu município. “A coordenação e o comitê gestor deram toda a assistência e o apoio necessário, esclarecendo todas as minhas dúvidas. Agora volto para casa segura de que sou capaz de ajudar muitas pessoas”, pontuou.

Sobre o Criança Feliz

Implantado pelo Governo Federal para reforçar a implementação do Marco Legal da Primeira Infância e promover o desenvolvimento humano integral das crianças nessa fase inicial de vida, o Programa Criança Feliz foi lançado em Sergipe no último mês de março pelo próprio ministro e pelo governador Jackson Barreto, para atender um público de cerca de 7.500 pessoas no estado, entre crianças beneficiárias do Bolsa Família e Benefício de Prestação Continuada (BPC) e suas famílias; além de gestantes.

Os pilares do Programa são as visitas domiciliares e as ações intersetoriais para fortalecimento das competências da família, a fim de incentivar o desenvolvimento das competências das crianças, buscando contribuir para a quebra do ciclo da pobreza, a redução da violência, a diminuição da evasão escolar, entre outros ganhos sociais.

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR