RETRUCOU

O vereador e presidente da Câmara de Monte Alegre, Acrísio Pereira, discordou da opinião deste jornalista durante a coluna publicada na semana passada. Segundo o vereador, a informação postada no Panorama Político estava incoerente.

Aproveito para esclarecer ao vereador que em nenhum momento este colunista quis atacá-lo de forma pessoal. O vereador parece não entender o que é ser uma pessoa pública com mandato.

Vereador, quando a imprensa cobra é no intuito de direcionar nossos representantes para o caminho correto. A sua excelência é um representante do povo, por isso vai ser cobrado sempre. Se não gosta de ser criticado, procure outra função.

 

SUA PRESENÇA NO EVENTO DE POSSE EM ARACAJU

Este jornalista foi taxativo ao dizer que sua participação na posse do novo controlador do município de Aracaju não soma em nada para o povo de Monte Alegre. Vossa excelência afirmou que “um bom político deve formar amizades com pessoas influentes e amizade pessoal merece respeito e consideração”.

Este colunista até concorda com sua preocupação em formar vínculos de amizades na seara política, mas note que isso apenas só alimenta o seu currículo pessoal e nada soma para os moradores de Monte Alegre.

Incoerente, vereador, é usar a impessoalidade da instituição pública para se alto promover.

 

PROJETO DAS CASAS DE JOÃO DANIEL

Assim que leu a crítica deste colunista em aparecer menos e trabalhar mais, o vereador foi rapidamente a emissora de rádio Xodó FM, em Glória, para falar sobre a reunião que teve com o deputado João Daniel e a prefeita Nena de Luciano sobre o futuro do “projeto das casas” prometido pelo parlamentar federal há quase oito anos.

É esse tipo de ação que os moradores de Monte Alegre espera do vereador. Aliás, o “projeto das casas”, segundo Acrísio, foi uma promessa sua de campanha.

“Projeto esse, que a população já estava sem esperanças, durante a minha campanha me comprometi correr atrás, e com Fé em Deus dará certo. João Daniel me garantiu pelo ou menos os terrenos”, escreveu em sua página pessoal e não na página oficial da Câmara, o vereador.

Vale lembrar que o dinheiro para a compra do terreno já foi pago pelos beneficiários do programa. O vereador, em sua nota, afirmou que “pelo menos o terreno o deputado garantiu”. Ora, e onde está o dinheiro pago no processo de cadastramento de pessoal? Já não haviam comprado o terreno com o montante arrecadado?

Se o deputado garantiu apenas o terreno, isso quer dizer que a novela vai ser perdurar por muito tempo.

 

POR OUTRO LADO

Este jornalista ficou sabendo que houve uma reunião com os beneficiários e que, na ocasião, foi informado que a retomada do projeto se dará através de financiamento junto à Caixa Econômica Federal.

 

UM BENEFICIÁRIO FALOU

Segundo um dos esperançosos em ter a casa própria do projeto das casas de João Daniel – assim ficou conhecido o programa – informou que, na exordial, o beneficiário pagaria a contrapartida do terreno e o governo construiria o imóvel.

Agora, segundo este cidadão, além de te já ter pago a contrapartida, terá que pagar a casa no valor de 80 mil reais. “Se for assim, eu prefiro levantar minha casa em um lugar de maior visibilidade”, criticou.

 

A RECLAMAÇÃO NÃO PARA

Outro beneficiário está preocupado com o financiamento, pois além dele, outros estão com restrições nos nomes em alguns bancos, o que impossibilitaria de realizar qualquer negócio jurídico. Resumindo: quem estiver com o bendito do nome sujo, ficará fora do benefício já conquistado em outrora.

 

Welder Ban | Panorama Político
Uma análise da política sergipana como ela deve ser: sem censura.

Deixe seu comentário abaixo