Portal Sou de Sergipe
O portal do Sergipano

Ex-presidiário que planejava matar duas crianças morre em confronto em Capela

O suspeito queria matar os dois filhos do vigilante Mário Sérgio, assassinado no dia 4 de setembro, em uma escola do município

As investigações mostraram que os dois comparsas são alagoanos e parentes de Fábio Arapiraca, que é um dos responsáveis pelo assassinato do vigilante, tendo praticado a ação criminosa com mais três suspeitos. Todos os  envolvidos com a morte do vigilante Mário Sérgio já foram tirados de circulação. “Nel e o Fábio Arapiraca morreram em confronto com a polícia, Ivo se entregou e Nininho foi preso não só pela morte do Mário Sérgio, mas pela morte de uma mototaxista, no município de Carmópolis”, esclarece o delegado.

O delegado ressalta, ainda, que após a morte de Fábio Arapiraca, a polícia recebeu diversas ligações para o Disque Denúncia (181). As denúncias relatavam que Roberto “Chocolate” estava planejando praticar a ação criminosa contra as crianças com dois parentes alagoanos de Fábio Arapiraca. “Começamos a fazer levantamento de campo, com a equipe da Coordenadoria  de Polícia do Interior (Copci) e montamos as peças do quebra cabeça, descobrimos que eles estavam em um veículo Onix, cor prata, na última quarta-feira, 6, na frente da casa onde ficam os filhos do Mário Sérgio”, relata Wanderson Bastos.




Após a constatação do paradeiro do suspeito, nessa quinta-feira, 7, a equipe policial ficou de prontidão, localizando Roberto “Chocolate” em uma rua, portando uma arma de fogo. “Demos voz de parada e o suspeito sacou a arma, atirou quatro vezes contra um policial nosso e ainda entrou em luta corporal. Nós tivemos que revidar, Roberto Chocolate foi alvejado, encaminhado para o hospital, mas veio à óbito e não resistiu aos ferimentos.”,disse.

A polícia não dispõe de evidências do envolvimento de Roberto Chocolate na morte do vigilante Mário Sérgio, porém confirma que ele planejava assassinar os seus dois filhos com os parentes alagoanos de Fábio Arapiraca. Os alagoanos estão sendo procurados pela polícia. “Nós ainda não conseguimos identificá-los, temos elementos que nos propiciarão chegar até eles e assim que isso acontecer eles também serão presos.”, conclui o delegado.

 

SSP

COMENTE!