Portal Sou de Sergipe
O portal do Sergipano

Como controlar gastos na pequena empresa?

À medida que o pequeno negócio cresce, é imprescindível a preocupação com o controle de gastos na empresa. A princípio, os problemas de gestão estão entre as principais causas da falência dos pequenos negócios no Brasil.

É inviável aguardar uma turbulência financeira, mas adotar medidas preventivas para que o seu negócio prospere de maneira segura e esteja preparado para enfrentar os desafios econômicos do mercado.

Listamos as principais medidas para o controle de gastos na sua empresa com a participação do Consultor Sênior da MORCONE Consultoria Empresarial, Adm. Carlos Moreira. Veja a seguir.

 Atente-se aos custos operacionais

Esses custos muitas vezes são considerados fixos, ou seja, a empresa depende desses serviços para funcionar, como luz, telefone, impressão, locação e acordo com fornecedores. O Consultor Sênior da MORCONE Consultoria Empresarial, Adm. Carlos Moreira orienta criar estratégias simples para diminuir esse tipo de custo e optar pela renegociação dos valores e economia colaborativa com a participação dos funcionários.

“É possível renegociar valores com os fornecedores baseando-se em propostas da concorrência. Além, disso é de suma importância construir na empresa uma cultura de economia de energia elétrica, substituir copos descartáveis, reciclar ou eliminar o uso de papéis, dentre outros que chamamos de cultura de desperdício zero”, sugere.

Antes de renovar contratos anuais, faça uma revisão dos valores e resultados dos serviços prestados. Está sendo útil? O que pode melhorar? “Evite contratos de renovação automática e opte por fazer essa revisão com a antecedência de sessenta dias”, orienta.

Evite contratações desnecessárias

Principalmente o pequeno negócio deve preocupar-se na hora de contratar ou demitir funcionários, pois ambos os processos geram custos e devem ser considerados no controle de gastos. Trabalhos que não são rotineiros e sim pontuais podem contar com o serviço terceirizado ou de profissionais autônomos.

“Nesse caso a empresa está poupando tempo com treinamento, além dos custos gerados por uma contratação trabalhista formal”, pontua.

Siga um plano de negócios

É imprescindível ter uma estratégia de negócios que mire objetivos futuros. Logo a gestão de custos deve ser direcionada de acordo com esses propósitos. Por exemplo, se no ano seguinte a empresa deseja fazer um investimento, é essencial que no presente o controle de gastos esteja focado nessa estratégia futura.

Saiba informações detalhadas sobre o controle de estoque, o que de fato o seu cliente mais consome e evite qualquer tipo de desperdício como produtos parados no estoque ou custos extras fora do planejamento.

Tenha a tecnologia a favor

Os softwares de gestão e planejamento são ótimas ferramentas para facilitar a rotina empresarial. Esse investimento contribui no controle de gastos, pois apresenta detalhes organizados sobre estoque, fluxo de caixa, além de proporcionar uma visão ampla, analítica e dinâmica sobre os processos financeiros e logísticos em diferentes setores da empresa.

Identifique quais são os reais custos

Nesse ponto é preciso fazer uma avaliação geral de todos os custos envolvidos na produção do fluxo de receita, ou seja, quais são os clientes, produtos e serviços que geram mais lucro e consecutivamente maiores gastos.

De acordo com o consultor, no controle de gastos é preciso identificar custos precisos em cada processo que envolve a obtenção de receitas. “Somente após essa análise é recomendado olhar para os gastos de uma forma geral e atentar-se àqueles custos que não estão relacionados a obtenção de receitas e que podem ser eliminados”, sugere.

Incentive a cultura de zero desperdício

O consultor considera que o empresário deve motivar os colaboradores a adotarem a cultura do desperdício zero, como treinamento para a obtenção de maiores descontos junto aos fornecedores e recompensas para àqueles que conseguirem as melhores negociações.

Quando o foco é reduzir custos, todos devem estar engajados nessa ideia, principalmente o empresário, ao evitar gastos desproporcionais em sua vida pessoal utilizando os lucros da empresa.

“Vale lembrar que todos os colaboradores observam essa conduta. Quem está à frente da empresa deve sem dúvida ser um exemplo em disciplina fiscal para que o planejamento de controle de gastos seja genuíno e aplicável a todos”, salienta.

Faça revisões periodicamente sobre os processos

Uma boa dica para o controle de gastos é comparar quais são os custos operacionais de empresas do mesmo nicho que o seu. “Esse networking é importante, pois através da comparação podem surgir novas ideias para otimizar os serviços, diminuir custos e torná-los mais eficientes”, pontua o consultor de negócios.

Não podemos nos esquecer da revisão geral das finanças e na necessidade de empréstimos, fazer uma ampla pesquisa sobre a menor taxa e prazo para pagamento.

O Consultor Sênior da MORCONE Consultoria Empresarial, Adm. Carlos Moreira, alerta sobre a importância de conversar com os clientes e a partir dessas informações, obter dados sobre os diferenciais no serviço prestado e os custos que não fazem tanta diferença para o consumidor.

Daiana Barasa 

COMENTE!