fbpx
Portal Sou de Sergipe
O portal do Sergipano

Gamificação se torna parte da estratégia de digitalização de empresas

São Paulo 2/7/2021 – Desenvolver novas formas de engajar os participantes em treinamentos ou atividades educacionais é sempre um desafio.

Mercado global de gamificação deve atingir US$ 37 bilhões até 2027, de acordo com o Fortune Business Insights.

De acordo com dados apresentados pela Fortune Business Insights, o tamanho do mercado global de gamificação era de US$ 6,33 bilhões em 2019 e está projetado para atingir US$ 37 bilhões em 2027. O estudo também aponta um crescimento na adoção de soluções gamificadas baseadas em nuvem por parte das PMEs (Pequenas e Médias Empresas), que ocorre porque estas soluções são mais acessíveis e oferecem serviços avançados, em comparação com as soluções locais, além de reduzir custos por tratar-se de um serviço de larga escala.

A gamificação, do inglês gamification, é o uso de mecânicas e características de jogos para engajar, motivar comportamentos e facilitar o aprendizado de pessoas em situações reais, transformando conteúdos densos em materiais mais acessíveis, normalmente não associados a jogos.

Desenvolver novas formas de engajar os participantes em treinamentos ou atividades educacionais é sempre um desafio para qualquer empresa ou instituição de ensino. Como manter os funcionários interessados durante a dinâmica e trazer resultados concretos, mesmo com as obrigações cotidianas? Como reter a atenção de alunos de diferentes faixas etárias nas aulas e conteúdos educacionais? Muitas organizações tentam solucionar dilemas como esses por meio de plataformas tecnológicas, como os conhecidos ambientes virtuais de aprendizagem (AVA). 

Com a pandemia, esse cenário ganhou ainda mais destaque no mundo. No Brasil, um estudo realizado pela Mlabs em parceria com a Social Media Week SP FuTeCH para as tendências do mercado digital, aponta que a gamificação é a principal aposta estratégica para 22% dos entrevistados em 2021.

A Ludos Pro é parte desse universo local. Criada em 2018, a startup viu a procura por sua solução gamificada aumentar ao longo dos primeiros meses da pandemia, fechando o ano de 2020 com um crescimento de 248% quando comparado a 2019. 

“No começo da pandemia, sentimos um impacto nos negócios. Mas em pouco tempo percebemos que muitas empresas estavam nos procurando para garantir mais engajamento, entregar treinamentos, incentivar as equipes e receber novos funcionários durante a pandemia”, afirma Danilo Parise, CEO da Ludos Pro.

Esse crescimento vem acontecendo já nos últimos anos, principalmente quando a empresa passou a vender a plataforma não apenas para grandes corporações, como Sicredi, Saint-Gobain e CPFL Energia, mas também para pequenas e médias empresas, que entenderam a necessidade da transformação digital e os benefícios da gamificação.

“A pandemia só reforçou algo que já havíamos identificado: a necessidade de as empresas digitalizarem cada vez mais seus processos de treinamento e aprendizagem, utilizando metodologias mais modernas, que realmente engajem e tragam resultados. Independentemente do porte, as empresas perceberam a real necessidade da transformação digital”, continua Danilo. 

O crescimento da startup vem acompanhado de um aporte de R$ 1,5 milhão, realizado por um investidor estrangeiro, e que vai viabilizar mudanças na estrutura da empresa que serão, inicialmente, focadas em melhorias de tecnologia e inclusão de novas funcionalidades na plataforma. “A ideia de ter um investidor anjo estrangeiro propicia a expansão para outros mercados, um objetivo que deve ocorrer dentro dos próximos anos”, afirma Danilo. 

Trazer a lógica e elementos dos games para o cotidiano da empresa não é apenas realidade das grandes multinacionais ou das startups e negócios de tecnologia. Ela pode ser implementada nos mais variados casos. 

O primeiro passo para implementar um projeto de gamificação consistente e, claro, efetivo é realizar um diagnóstico do público interno. Ao considerar o perfil dos usuários que vão utilizar a plataforma, será possível conhecer melhor as limitações, comportamentos, referências, habilidades e expectativas do grupo.

“Quem acha que a implementação da gamificação segue um bê-á-bá inflexível está enganado. Na verdade, é possível criar soluções que tornem o jogo mais interessante. Adotar um sistema de premiação, por exemplo, é uma alternativa atrativa para engajar os colaboradores e tornar o processo mais satisfatório. Essa é apenas uma possibilidade. Existe a opção do sistema de pontuação ou até de títulos. O importante aqui é despertar o melhor da equipe, estimulando uma competição saudável”, continua Danilo. 

Website: https://www.ludospro.com.br/

COMENTE!

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Consulte Mais informação