Portal Sou de Sergipe
O portal do Sergipano

Estudo da IDC Brasil aponta alta de 8% no mercado de impressoras

O mercado de impressoras continua se recuperando no Brasil. Cresceu 21% em 2017 e 8% em 2018, com um total de 2,36 milhões de máquinas vendidas, sendo 61% para o varejo e 39% para o mercado corporativo. Já a receita teve aumento de 14,7% em relação a 2017 e foi de US$ 727 milhões. Os dados são da IDC Brasil, empresa que presta consultoria nas indústrias de tecnologia da informação, telecomunicações e mercados de consumo em massa de tecnologia.

O estudo IDC Quarterly Hardcopy Tracker Q4 2018 ainda faz outros recortes do mercado de impressão no país e, entre outros dados, aponta que das 1,4 milhão de máquinas vendidas em 2018 no varejo, 748,7 mil foram de modelos tanque de tinta, alta de 28% em relação a 2017. Já o mercado corporativo foi responsável pela compra de 913 mil impressoras, sendo que 479 mil consumidores optaram pela impressora multifuncional a laser, aumento de 9,8% na comparação anual.

“A adoção dessas tecnologias não foi surpresa, já que desde 2016 – e mais aceleradamente em 2017 – houve um crescimento na venda de equipamentos tanque de tinta, principalmente para o consumidor doméstico e pequenos empresários, pois apesar de um investimento inicial maior do que o habitual, apresentam alto rendimento de tinta, além de multifunções, como scanner e cópia”, diz Rodrigo Okayama Pereira, analista de mercado da IDC Brasil.

E, em relação aos modelos a laser, completa, “se mantém os preferidos pelas empresas pois combinam custo por página competitivo, alta capacidade e velocidade de impressão, oferecendo inovações em software e serviços, como gerenciamento, segurança e produtividade para os mais diversos nichos de mercado”.

Quanto ao crescimento de 8% do mercado em 2018, após uma alta de 21% no ano anterior, não surpreende, pois muitas reposições e atualizações foram feitas em 2017. Muitos consumidores domésticos, profissionais liberais e empresas que estavam trabalhando com equipamentos defasados e adiando a troca desde 2016, tiveram um respiro e compraram novas impressoras. Além deste fato, o início do ano foi promissor para o setor. Em 2018, portanto, as vendas de 2,36 milhões de impressoras representam novo fôlego para o mercado.

Segundo semestre de 2018

De julho a dezembro de 2018, a receita teve aumento de 13,8% em relação ao segundo semestre de 2017, com US$ 368,5 milhões, mas em volume o mercado caiu 2,1%, com vendas de 1,082 milhão de unidades. Desse total, 44% foram equipamentos tanque de tinta, 31% cartucho de tinta e 25% impressoras a laser.

No varejo foram vendidas 708,8 mil unidades, sendo a maioria tanque de tinta, com 401 mil, aumento de 41,6% em relação ao segundo semestre de 2017. No mercado corporativo, das 373,9 mil impressoras vendidas, 235,4 mil eram a laser, alta de 0,3%.

Diferente dos últimos dois anos, quando 51% das vendas foram realizadas no segundo semestre, em 2018, o primeiro semestre representou 54% das unidades vendidas.

Expectativas para 2019

Para 2019, mesmo diante das expectativas com o novo governo e do otimismo das grandes empresas, que podem injetar recursos no país, a IDC prevê um crescimento conservador de 4,7%. “Com a aprovação da Reforma da Previdência, estabilização do dólar e outros projetos do governo para impulsionar a economia, o crescimento do setor de impressoras no Brasil pode ser maior, mas a previsão, hoje, é de um crescimento tímido para o ano”, finaliza o analista da IDC Brasil.

COMENTE!