Ao menos duas pessoas morreram devido ao calor -uma na Romênia e uma na Polônia e muitas mais foram hospitalizadas com insolação e outros males relacionados ao calor.

A onda de calor batizada de “Lúcifer” continua a castigar a Europa neste final de semana. Partes do sul e do leste do continente são assoladas por temperaturas acima de 40 graus Celsius desde ontem, devido à onda de calor que provocou incêndios florestais, desencadeou alertas climáticos e prejudicou plantações.

A Itália e os Bálcãs foram os mais afetados, mas áreas mais ao norte, como o sul da Polônia, também sofreram com temperaturas anormalmente altas, e o serviço meteorológico europeu Meteoalarm emitiu alertas “vermelhos” – seus mais altos – para 10 países.

Os bombeiros também estão ocupados na Sérvia, Bósnia, Macedônia e Croácia, e as autoridades aconselharam as pessoas a permanecerem em casa e consumirem mais água.

A expectativa é que as temperaturas continuem em torno de 40º C até a próxima semana. Vinicultores italianos começaram a colheita semanas antes do que o costumeiro devido ao calor extremo.

Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food, escreveu no jornal La Stampa que até a safra de vinhos é ameaçada pelo calorão. “A saúde das uvas é severamente testada por este clima”, escreveu Petrini, acrescentando que os vinicultores correm o risco de encontrar a fruta “cozida pelo sol e pelo calor escaldante”.

As autoridades italianas emitiram alertas de risco climático para 26 cidades, incluindo os polos turísticos Veneza e Roma, onde muitas das fontes foram desligadas devido a uma seca persistente.

Izaque Vieira / Redação Portal Sou de Sergipe

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR