A partir desta quinta-feira a Anatel começará o processo de bloqueio de celulares piratas no país. A medida visa restringir o uso de aparelhos que não cumprem as exigências da legislação nacional, trazendo riscos aos usuários. A regra afetará telefones falsificados, contrabandeados e produtos fora das especificações brasileiras.

Celulares comprados no exterior vão continuar funcionando, desde que sejam certificados por instituições estrangeiras de certificação equivalentes à agência reguladora nacional.

A primeira etapa dos bloqueios começará em Goiás e no Distrito Federal e a previsão é de que o sistema esteja em funcionamento no país inteiro até março de 2019. Os próximos estados onde o bloqueio será implantado -com mensagens a partir de 23 de setembro e bloqueio em 8 de dezembro –  serão Acre, Rondônia, São Paulo, Tocantins, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul. Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Os usuários dos demais estados receberão mensagens a partir de 7 de janeiro de 2019, e a desativação ocorrerá em 24 de março.

Os aparelhos que forem habilitados nestes locais a partir de quinta e estiverem em situação irregular receberão um alerta via mensagem de texto em até 24 horas após a ativação da linha. O bloqueio do aparelho na rede, o que impede de fazer ligações e usar a internet móvel, ocorre a partir do dia 9 de maio. O usuário receberá também avisos após 25 dias e 50 dias da habilitação e na véspera da suspensão.

No caso dos irregulares, o sistema da Anatel não reconhece o número de identificação. A estimativa da agência é de que existam 12 milhões de aparelhos ilegais em uso no país, e que sejam habilitados 1 milhão de equipamentos não homologados a cada mês.

O imei pode ser consultado digitando-se as teclas *#06# no teclado do celular. O número deve ser igual ao daquele registrado na caixa e no adesivo colado no aparelho. A Anatel recomenda que clientes façam essa verificação antes de comprar um telefone.

Fonte: veja.com

Izaque Vieira / Redação Portal Sou de Sergipe

Related Posts

Deixe seu comentário abaixo

Comentários