setembro16 , 2021

    Depca apreende adolescente investigado por ato infracional similar a homicídio qualificado

    Veja também

    SUICÍDIO: Um grito da alma pedindo socorro

    As tentativas de suicídio ou sua prática efetiva envolvem sempre uma...

    Polícia Militar apreende arma de fogo em Monte Alegre

    Policiais militares da Companhia Independente de Operações Policiais em...

    Tremor de terra é registrado em Gararu

    Um tremor de terra, de magnitude 1.5, foi registrado...

    Polícia Civil prende casal em flagrante por tráfico de drogas em Propriá

    Policiais civis da Delegacia Regional de Propriá prenderam em...

    COVID-19: Sergipe tem 5° dia seguido sem registro de óbitos

    O novo boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da...

    COMPARTILHE

    - Advertisement -

    Policiais Civis da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) apreenderam, no início da manhã desta quarta-feira (11), um adolescente suspeito da prática de ato infracional análogo ao crime de homicídio qualificado, mediante emprego de arma de fogo.

    De acordo com o delegado Valter Simas, titular da Delegacia especializada, o fato ocorreu no bairro Japãozinho, zona norte de Aracaju. A apreensão do adolescente aconteceu depois de operação desencadeada no bairro Santa Maria, zona sul de Aracaju/SE, pela equipe da Depca.

    Segundo as investigações, após desavenças com a vítima, o adolescente teria trocado uma corrente de prata e seu aparelho celular por um revólver calibre 32, com três munições de igual calibre.

    As investigações mostram também que no dia do homicídio, após fazer uso de substância entorpecente conhecida por maconha, o adolescente teria avistado a vítima e se preparou para praticar o crime. “Na oportunidade, ele disparou três vezes contra a vítima, que não teve possibilidade de defesa e acabou morrendo”, explicou Valter Simas.

    - Advertisement -

    Após a apreensão feita pela equipe da Depca, o adolescente foi encaminhado para internação em uma unidade socioeducativa, onde permanecerá à disposição do Juízo da 17a Vara Civel. Denúncias podem ser feitas pelo 181 da Polícia Civil, a ligação é gratuita e o sigilo garantido.