Desde a última terça-feira (18), o Facebook mudou a maneira das Páginas publicarem conteúdos na rede social. A ideia é combater a disseminação de notícias falsas. Dessa forma, todas as Páginas que não forem de veículos de mídia (classificadas como notícias, esportes e entretenimento) não poderão fazer modificações nas imagens, títulos e descrições das fotos — o que o Facebook chama de metadados.

Além disso, outra novidade é que as Páginas autorizadas a personalizar suas publicações ganham as Ferramentas de Publicação de Páginas (Power Editor).

Ferramenta de publicação do Facebook (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo)

Anteriormente, todas as Páginas da rede social podiam fazer quaisquer tipos de modificações nos metadados, inclusive alterar completamente títulos que não necessariamente faziam referência ao real conteúdo das matérias. Tal prática poderia levar os usuários a conteúdos desconhecidos e, por vezes, falso, além de gerar o famoso clickbait (ou caça cliques) — conteúdo que visa gerar receita de publicidade on-line sem necessariamente fazer sentido para quem lê.

O que muda?

Na prática, se você tem uma Página no Facebook que não seja classificada como veículo de mídia, não será mais possível mudar o conteúdo das suas publicações. Sendo assim, a orientação é mudar a classificação de sua Página.

Segundo o Facebook Brasil, os testes para a implementação dessa mudança estavam ocorrendo desde abril deste ano e a equipe da plataforma já conta com um banco de dados de Páginas confiáveis. Com ajuda de ferramentas que trabalham com inteligência artificial, foi possível mapear os diferentes tipo de Páginas. Fatores como o número de seguidores, conteúdos publicados e audiência foram fundamentais para classificar quem terá direito às Ferramentas de Publicação de Páginas (Power Editor).

Facebook quer prevenir notícias falsas na rede social (Foto: Foto: Divulgação/Facebook)

O acesso é eterno?

Páginas classificadas como veículo de mídia podem perder esse direito em caso de não seguir as orientações da rede social. De acordo com o Facebook, ”as Páginas que abusarem da possibilidade de modificar seus próprios links de qualquer forma (por exemplo, deturpando o conteúdo do link e/ou enviando às pessoas spam com posts que não estão alinhados aos nossos Padrões da Comunidade) perderão o acesso a essa ferramenta para substituir metadados para todas as pré-visualizações de links.”

Luta contra as fake news

Em fevereiro deste ano, o Google trouxe para o Brasil uma ferramanta de checagem de notícias falsas implementada nos Estados Unidos, Reino Unido, França e Alemanha em outubro de 2016. As empresas de fact checking Aos Fatos, Agência Lupa e Agência Pública trabalham em parceria com a gigante de buscas.

Em seguida, o Facebook foi na onda do buscador e lançou uma ferramenta que dá dicas contra notícias falsas. A lista conta com dez passos para checar uma informação, entre eles como verificar a URL, investigar uma fonte e identificar se o texto não se trata de uma piada.

Deixe seu comentário abaixo

Comentários

COMPARTILHAR